Nova plataforma acelera liberação de crédito da Fomento Paraná

Fonte: Agência Estadual de Notícias

Duas novidades implantadas pela Fomento Paraná prometem resolver grandes gargalos na concessão de crédito para empreendedores de micro e pequeno porte no Paraná, que são a oferta de garantias e o prazo de análise para aprovação do crédito.

O novo processo, que reduz a concessão de financiamentos de até R$ 100 mil para até 15 dias, está sendo chamado de Fomento Fácil. “Esse é um trabalho fantástico da Fomento Paraná, porque valoriza a integração com os parceiros a inovação e a modernização tecnológica, para facilitar a vida do empreendedor, como defendemos no nosso Paraná Inovador, para se conectar com o futuro”, afirma o governador Carlos Massa Ratinho Junior. “A Fomento já oferece juros baixos e prazos longos. Agora estamos tornando mais rápido o acesso ao crédito e com uma nova opção de garantia. Isso vai ajudar muito as pequenas empresas, que são grandes geradoras de emprego”, acrescenta.

As melhorias que levaram à criação do Fomento Fácil tiveram início no ano passado, com a retomada da parceria da instituição financeira estadual com Sociedades de Garantia de Crédito (SGC).

Os processos de análise de propostas foram revisados e readequados e as SGCs voltaram a emitir cartas de garantia para operações de até R$ 100 mil encaminhadas por correspondentes ou pelas próprias SGCs.

Agora a Fomento Paraná acrescentou o Fundo Garantidor para Investimentos (FGI), do BNDES, como mais uma modalidade de garantia para estas operações. A instituição também permitiu que parceiros e correspondentes façam a consulta online e instantânea ao Sistema de Informações de Crédito do Banco Central (SCR) e aos birôs de crédito SPC e Serasa logo na entrada dessas operações, o que facilita e acelera a tomada de decisão de crédito.

“É o que chamamos de esteira digital. É um caminho próprio e exclusivo para nossos parceiros correspondentes, como as associações comerciais, federações, sindicatos e sociedades empresárias credenciadas, além das SGCs”, explica Renato Maçaneiro, diretor de Mercado.

Nessa sistemática, a proposta passa por uma consulta imediata. Se não houver restrição e tiver bom potencial, é enquadrada em uma linha de crédito e segue para análise cadastral. “Podemos dar a resposta de crédito mais rápido, em até dois dias, e liberar o dinheiro em até 15 dias. Antes esse processo podia demorar semanas, porque exigia assinatura, tramitação de documentos pelos Correios, etc”, diz Maçaneiro.

O diretor de Operações do Setor Privado, Éverton Ribeiro, explica que a entrada em operação do FGI na esteira digital é um grande avanço porque resolve a questão de falta de garantias que afeta muitos empreendedores. “A Fomento Paraná é cotista do FGI e possui um limite para operar essa modalidade de garantia, que é usada em outras linhas do BNDES, então houve uma facilitação a partir dos processos internos”, comenta Ribeiro.

Também colaborou para a criação do Fomento Fácil a integração da Fomento Paraná com o sistema BNDES Online, por meio de certificação digital, que permite que o pedido de liberação do crédito ocorra em tempo real. Assim o crédito na conta do cliente pode ocorrer em até 15 dias úteis.

Ainda segundo o diretor de Operações, para valorizar a relação com os parceiros, a instituição também destacou um analista de desenvolvimento para ficar dedicado exclusivamente a estas operações. “O analista dedicado é uma ponte para o correspondente, com acesso e contato direto para tratar as propostas com mais agilidade”, avalia.

O gerente de Planejamento, Claudio Shigueoka, destaca outro fator acelerador para a análise e aprovação das propostas na sistemática do Fomento Fácil. A licença ambiental passou a ser dispensada para operações que se caracterizam como capital de giro. “A licença era um fator que aumentava em muito o tempo para aprovar um crédito, sem que fosse realmente necessário, pois em torno de 70% das propostas na faixa de R$ 20 mil a R$ 100 mil eram para capital de giro, que é recurso para manutenção da empresa e não são necessariamente ações com impacto ambiental”, explica.

O próximo passo para a instituição é elevar o limite das operações do Fomento Fácil de R$ 100 mil para a faixa de R$ 500 mil, o que deve ocorrer nas próximas semanas. “Com isso vamos atender a uma carência de um grande número de micro e pequenas empresas que precisam de crédito rápido nessa faixa de valor para despesas do dia a dia”, adianta o diretor-presidente da Fomento Paraná, Heraldo Neves. “E temos um benefício adicional de reduzir o risco das operações e a eventual inadimplência, pois temos um processo que oferece segurança e credibilidade.”

Para o correspondente da Fomento Paraná na Associação Comercial e Industrial de Londrina (ACIL), Adaueber Rodrigues, a entrada em funcionamento da nova sistemática do Fomento Fácil traz uma excelente perspectiva para a análise das propostas. “O processo vai caminhar da mesma forma que no microcrédito, que está todo automatizado. Vai ser bem mais rápido. Todo mundo ganha”, diz Rodrigues.

"A Fomento Paraná é uma instituição que estimula a economia do nosso Estado oferecendo crédito para que micro e pequenos empreendedores possam começar, manter ou ampliar seus negócios e a Celepar tem sido parceira nesse processo, trazendo as facilidades da tecnologia para que a Fomento Paraná possa diminuir os prazos na concessão desses recursos", afirma Leandro Moura, presidente da Celepar.