Conversa com o presidente

19
04 de Fevereiro de 2015

88 BILHÕES? NÃO TEM GRAÇA

Graça Foster finalmente foi demitida da Petrobras. Há vários meses, a presidente da estatal não reúne as mínimas condições para permanecer no cargo. Todos sabemos que o Brasil está diante de uma série crise econômica, agravada pela instabilidade política do governo. Se Dilma Rousseff demorou tanto tempo para tomar uma decisão tão óbvia, o que poderemos esperar em relação a outros temas urgentes? O Governo Federal está nitidamente perdido, sem rumo, sem comando. 

O último balanço da Petrobras – este também atrasado em meses – aponta uma perda de R$ 88 bilhões da empresa. Ainda não se sabe o total de recursos desviados no esquema do petrolão, mas a cifra admitida pela diretoria da estatal é um símbolo do Brasil atual. Para se ter uma ideia, R$ 88 bilhões equivalem ao PIB boliviano. Em outras palavras, a turma do petrolão tirou uma Bolívia da maior empresa brasileira. Esse dinheiro seria suficiente para manter o Sistema Único de Saúde por um ano ou ainda para cobrir quase todo o déficit da Previdência Social em 2014. Os R$ 88 bilhões que se evaporaram da Petrobras equivalem a quatro anos de pagamento da Bolsa Família. Ou a todo valor destinado ao PAC durante um ano – e ainda sobrariam R$ 20 bilhões. 

Diante desses números assustadores, é compreensível a indignação do empresariado brasileiro, que ainda se vê obrigado a arcar com as altas de impostos, taxas e outros custos que diminuem a competividade da indústria, do comércio e da prestação de serviços. 

Mas de uma coisa os poderosos podem ficar certos: o Brasil que produz não aceitará esse estado de coisas. O clima entre as instituições da sociedade civil é de mobilização. Chega de corrupção, ineficiência, despreparo, lentidão e mentiras. Chega! 

Até a próxima,
Valter Luiz Orsi

Histórico

Selecione um ano e um mês: