Conversa com o presidente

106
03 de Fevereiro de 2017

As palavras de Dom Albano ainda vivem neste mundo

Hoje, a consternação me faz ter mais vontade de ouvir do que de falar. Quero dizer apenas o fundamental, sobre aquilo que pulsa nestes dias tristes no coração dos londrinenses.

A morte de Dom Albano Cavallin, um arcebispo que trouxe seu brilho humano e intelectual para iluminar por tantos anos nossa cidade, requer um generoso silêncio, uma oração em forma de doces lembranças.

Do homem sábio, bondoso, divertido, carismático, tolerante. Que ao lado da ACIL fortaleceu tantos pleitos, que se ergueu contra a corrupção quando mais precisávamos dele. “Nem toda a água do Igapó é suficiente para lavar Londrina”, disse à época em plena celebração na Catedral, em sintonia com o inconformismo popular.

Ele que nos tranquilizou tantas vezes ao sentar-se à mesa e consagrar o diálogo, recurso dos líderes extraordinários para vencer as mais profundas divergências.

Cito aqui alguns episódios em que sentimos o peso das suas palavras percorrer o ambiente e, de alguma forma, nos tornar pessoas e instituições melhores:

“O mundo é um barco com dois remos, que se movem na mesma direção. De um lado a ciência, de outro a religião (ou como queiram, a metafísica). Um remo avança  para desvendar os pequenos mistérios, enquanto o outro remo se movimenta para guardar os grandes”, disse, na solenidade que inaugurou o curso de Medicina da PUC.

Ou as palavras bíblicas proferidas por ele na segunda posse do amigo Valter Orsi na presidência desta associação. Primeiro o livro de Números:

“O Senhor te abençoe e te guarde,

O Senhor faça brilhar sobre ti a sua face e te conceda a sua graça.

O Senhor volte para ti o seu rosto e te dê a Paz”

A segunda menção bíblica naquela ocasião – breve como a vida terrena, foi do livro de Gênesis:

“Seja você mesmo uma bênção para os outros”.

Lembro-me de outra, publicada pelo cronista Paulo Briguet, um colaborador histórico da nossa associação:

“Esse descontentamento permanente, na verdade, é a saudade do Céu”, dita em um missa, sobre nossa tendência incontrolável à insatisfação.

Enquanto ele ‘mata’ sua saudade, ficamos aqui, confortados pelo Senhor, em todos os silêncios e em todas as orações.

Porque as palavras de Dom Albano nos movem na direção de Deus.

Até a próxima,

Claudio Tedeschi

Frase da semana 

“E no meio de todas as respostas psicológicas ou sociológicas a respeito de vocação e profissão, tenho a certeza que a religiosa mistura-se com o dom de Deus”.

Dom Albano Cavallin (arcebispo emérito de Londrina, 1930-2017)

Histórico

Selecione um ano e um mês: