Conversa com o presidente

113
24 de Março de 2017

Nova estação, nova esperança

As notícias ruins são ainda muito mais numerosas e nos causam angústia, mas é possível acender a centelha da esperança diante da chance de mudança.

Há um novo ciclo se instalando para os londrinenses e para os brasileiros. Um ciclo mais propício ao setor produtivo, mais desregulamentado e com menos ranço do famigerado Estado paternalista e superpoderoso que marca nossa história.

Esta semana foi especialmente promissora neste sentido. Primeiro, pela entrada em vigor de cinco decretos municipais que simplificam a tramitação administrativa interna para a emissão de documentos exigidos para a abertura de novas empresas. O pacote de medidas é o ponto de partida da administração Marcelo Belinati em direção à desburocratização do município, uma reivindicação consensual de diversas instituições e que foi defendido pela ACIL durante o último processo eleitoral. Com menos burocracia, ganharemos competitividade para atrair investimentos no comércio, na indústria e nos serviços e assim gerar mais empregos.

A outra boa nova vem de Brasília e é igualmente auspiciosa para o País. Aa restrição ao trabalho terceirizado, um velho tabu no nosso arranjo social, parece estar com os dias contados, após aprovação na Câmara dos Deputados.  É o início da  flexibilização das regras trabalhistas, uma reforma que vai ganhando musculatura nos centros do poder e que é essencial para agregarmos competitividade no tabuleiro do mercado global e ponto-chave para o combate ao desemprego.

Outra novidade que nos parece interessante para uma melhora gradativa dos serviços públicos e da qualidade de vida dos londrinenses é o Programa Londrina Mais, um esforço por transparência na gestão pública e por uma participação mais efetiva da comunidade nas decisões que afetam o cotidiano urbano.

Apoiamos cada um destes passos, contudo, não abriremos mão da vigilância e do espírito crítico. A intenção não significa nada se a execução das propostas falhar. Estaremos atentos para a efetividade de cada uma delas. Simplesmente porque é este o nosso dever.

Até a próxima,

Claudio Tedeschi

Frase

“O capital é como água: sempre flui por onde encontra menos obstáculos”.

Antonio Delfim Netto (1928-), economista e ex-ministro da Fazenda

Histórico

Selecione um ano e um mês: