Conversa com o presidente

2
03 de Setembro de 2014

O SENTIDO DAS MÃOS UNIDAS

A Conversa com o Presidente traz hoje mais um convidado especial: o pastor Messias Anacleto Rosa. Ele faz uma reflexão profunda sobre o tema que move a ACIL em nossa gestão: Pé Vermelho, Mãos Unidas. Com vocês, as palavras sábias do pastor Messias: 

“Quando as mãos se juntam pelos valores da união, lembramo-nos das belas palavras que abrem o Salmo 133: ‘Ó! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união’. 

A ACIL tem encontrado nas mãos uma forma de transmitir uma mensagem da filosofia do seu trabalho e da sua caminhada. Vamos colocar nesta pequena reflexão três lições que o tema nos oferece: 

1 – Mãos unidas umas às outras: Falam da nossa união, da nossa mobilização para o trabalho. Eu sozinho não posso fazer nada ou se possível eu vier a fazer alguma coisa, é muito pouco. Quando uno as minhas mãos ao outro já somos dois, e quando somamos a mais outros, somos muitos, até que formemos um verdadeiro exército para juntos batalharmos e sermos vitoriosos. Creio que a nossa sociedade representada por seus vários segmentos pode fazer muito mais pela nossa cidade quando estivermos de mãos dadas. Como exemplo, temos as abelhas e as formiguinhas que, aparentemente, são tão pequenas e incapazes de fazer uma grande obra. Elas nos ensinam a armazenar alimentos para o tempo de escassez; as abelhas tão pequenas, juntas, fazem um mel tão doce e tão saudável. Por que não aprendemos com a própria natureza o desafio de darmos as mãos uns aos outros tendo como motivação o ideal de servir? 

2 – Mãos dadas ao nosso próximo: Não basta estendermos nossas mãos ao outro, é preciso estendê-las ao nosso próximo. Quem é o nosso próximo? Lendo os ensinamentos de Jesus em Lucas 10.30-37 encontramos a resposta: ‘Jesus respondeu assim: – Um homem estava descendo de Jerusalém para Jericó. No caminho alguns ladrões o assaltaram, tiraram a sua roupa, bateram nele e o deixaram quase morto. Acontece que um sacerdote estava descendo por aquele mesmo caminho. Quando viu o homem, tratou de passar pelo outro lado da estrada. Também um levita passou por ali. Olhou e também foi embora pelo outro lado da estrada. Mas um samaritano que estava viajando por aquele caminho chegou até ali. Quando viu o homem, ficou com muita pena dele. Então chegou perto dele, limpou os seus ferimentos com azeite e vinho e em seguida os enfaixou. Depois disso, o samaritano colocou-o no seu próprio animal e o levou para uma pensão, onde cuidou dele. No dia seguinte, entregou duas moedas de prata ao dono da pensão, dizendo: – Tome conta dele. Quando eu passar por aqui na volta, pagarei o que você gastar a mais com ele. Então Jesus perguntou ao mestre da Lei: – Na sua opinião, qual desses três foi o próximo do homem assaltado? Aquele que o socorreu! - respondeu o mestre da Lei. E Jesus disse: – Pois vá e faça a mesma coisa’. 

3 – Mãos dadas a Deus: Por que mãos dadas a Deus? Porque é dEle que recebemos a capacitação para levarmos a bom termo o nosso trabalho. Sem Ele é impossível trabalharmos com bons resultados, sem Ele tudo não passa de uma mera ilusão, utopia, frustração e derrota. Sem Ele nossos projetos estão fadados ao insucesso. Quando contamos com Ele as coisas vão bem. Isso não significa a ausência de desafios, turbulências, mas podemos estar certos que alcançaremos bons resultados. Esperamos oferecer à nossa cidade tão carente, tão sofrida, tão frustrada, tão explorada, nossas mãos a quem for, não importando sua raça, sua cor, seu sexo, sua idade, sua crença, e sim vendo em nosso próximo a imagem e semelhança do Criador. Quando estendermos as nossas mãos a Deus, aí sim, receberemos a inspiração, a força para levarmos com sucesso os projetos que temos no coração. 

E assim, vivamos juntos na prática os ensinamentos do nosso querido mestre: “Eu lhes dou este novo mandamento: amem uns aos outros. Assim como eu os amei, amem também uns aos outros. Se tiverem amor uns pelos outros, todos saberão que vocês são meus discípulos (João 13.34-35).” 

Até a próxima,
Valter Luiz Orsi

Histórico

Selecione um ano e um mês: