Conversa com o presidente

134
18 de Agosto de 2017

Reforma de propósito

Em fevereiro deste ano, a ACIL liderou o lançamento de um manifesto empresarial assinado por várias entidades que enumerava 12 medidas para reformar o Estado e melhorar o ambiente econômico.

O sexto item do documento pedia a instauração da cláusula de barreira, um dispositivo que restringiria a apenas algumas legendas o acesso ao horário gratuito eleitoral e aos subsídios do fundo partidário.

A ideia está embutida na PEC 77/2003, proposta de Reforma Política que tramita a toque de caixa na Câmara Federal. Lá está a tal cláusula, renomeada de Cláusula de Desempenho. Pois bem: dado que o número elevado de siglas enfraquece a democracia em vários aspectos, nos deparamos aí com um claro avanço.

Porém, como líder do setor produtivo e também como cidadão, tenho o dever de expressar aqui todo o meu descontentamento com o texto que se encaminha para a rápida aprovação. Definitivamente, transferir bilhões dos cofres públicos para as campanhas eleitorais não é a melhor ideia nestes tempos difíceis, assim como implantar o modelo do distritão, uma manobra obscura, feita sob medida pelos atuais parlamentares para terem vantagens no próximo pleito.

O caos institucional parece ter conduzido nossa classe política para um lugar perigoso, aquele onde a opinião pública nunca é ouvida e onde a desfaçatez é o único refúgio de quem nos representa.

Do modo como as coisas caminham, talvez a reforma mais urgente seja a reforma de propósito na comunidade política. Elas precisam ser mais sérias, mais íntegras, mais conectadas com os anseios do povo. Estamos perdendo outra grande chance de promovermos uma autêntica mudança de postura em um momento crítico da nossa história. Como cidadãos, devemos ficar mais atentos e ativos para lutarmos contra retrocessos como este.

Até a próxima,

Claudio Tedeschi

Frase da semana:

“A política é a utopia alegre da abundância, desmoralizada pela economia, que Carlyle chamava de “ciência severa da escassez”.

Roberto Campos, (1917-2001), economista e ex-ministro do Planejamento

Histórico

Selecione um ano e um mês: