Conversa com o presidente

130
21 de Julho de 2017

Solução fácil nunca é a melhor opção

Desde os tempos de menino, ouvia sempre um conselho muito comum entre os mais sábios: a solução mais fácil quase sempre não é a melhor.

Para enfrentarmos um problema difícil, o indicado, normalmente, é aceitar o caminho mais trabalhoso. Assim ficamos mais próximos do êxito.

É uma pena que o governo federal ignore esta lição tão preciosa. Aumentar impostos em plena crise, como foi anunciado esta semana, é aquela solução fácil que nos decepciona.

Tributos mais agressivos nos combustíveis é outro castigo duro para o contribuinte, já forçado a sofrer todos os desdobramentos da recessão.

Quando defendemos insistentemente a austeridade nos gastos públicos e o corte de privilégios adquiridos no funcionalismo é porque entendemos que estas são as únicas formas de não sangrarmos - de tempos em tempos - o bolso da população. É preciso entender de uma vez por todas: mais gastos, mais impostos e, por fim, mais degradação do ambiente econômico.

Por isso, a ACIL continuará lutando pelas reformas do Estado e constestando judicialmente eventuais abusos na tributação. Que os gestores públicos em todas as esferas – federal, estadual e municipal – pensem duas vezes antes de mirarem o contribuinte como o responsável pela solução dos problemas. Problemas que, na maioria das ezes, eles mesmos criaram.

Até a próxima,

Claudio Tedeschi

“Me arrancam tudo à força e depois me chamam de contribuinte”. Millôr Fernandes (1923-2012), humorista

Histórico

Selecione um ano e um mês: