Conversa com o presidente

58
04 de Março de 2016

UMA MANHÃ HISTÓRICA

A história avançou no noticiário desta manhã. Em um país que sempre clamou por Justiça e pelo funcionamento das instituições que zelam pelo cumprimento da lei, nada poderia ser mais animador nestes dias tão preocupantes.

A condução coercitiva do ex-presidente Lula para prestar depoimento na Polícia Federal é uma demonstração maiúscula de força da Operação Lava Jato, um das maiores iniciativas de depuração que se tem notícia na história da República.

Ainda que o líder petista tenha reclamado da “pirotecnia” da ação e ter garantido que “a luta continua”, na massa de brasileiros angustiados pelos desmandos do grupo político instalado em Brasília desde o início da década passada, o clima mudou. Há esperança que a verdade prevalecerá.

É como se um ciclo estivesse se encerrando, embora ainda seja importante manter a vigilância e aguardar todos os desdobramentos da investigação para celebrarmos a chegada de um novo tempo. Sem abusos de autoridade, respeitando sempre o direito a ampla defesa, mas fazendo justiça, o que realmente importa. 

Quando formos contar para os nossos netos o que se passou, talvez apontaremos esta manhã como um marco da virada, o começo de uma era mais madura da nossa democracia. O caminho é longo porque, parados, perdemos muito tempo. A crise política ainda é um nó bastante difícil de desatar. A diferença agora é que temos a sensação de que vamos conseguir. E é esta perspectiva que pode melhorar a confiança do setor produtivo e, em um segundo momento, do próprio cenário econômico. Como disse um amigo: “O sol já começa a brilhar entre as nuvens escuras.”

Até mais,
Valter Luiz Orsi



Frase da Semana
A justiça pode irritar porque é precária. A verdade não se impacienta porque é eterna.
Rui Barbosa, jurista

Histórico

Selecione um ano e um mês: