26/03/2018 08:17:59 Saldo de empregos em Londrina fica positivo em fevereiro

Fonte: Folha de Londrina

Londrina fechou o segundo mês do ano com saldo positivo de 106 empregos, resultado de 6.350 admissões e 6.244 desligamentos. O número representa uma variação de 0,07% em relação ao mês de janeiro. Os dados são do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho, divulgado nesta sexta-feira (23). Londrina ficou em 23ª posição no ranking das cidades paranaenses que mais abriram vagas em fevereiro. Cascavel (770), Maringá (603) e São José dos Pinhais (461) foram os municípios que mais geraram vagas no mês passado.

Dos oito setores pesquisados, apenas três ficaram com saldo positivo em Londrina (série sem ajustes): serviços (158), construção civil (104) e serviços industriais de utilidade pública (27). Outros quatro - comércio (-134), agropecuária, extrativismo vegetal, caça e pesca (-32), indústria da transformação (-14) e administração pública (-3) – ficaram com saldo negativo. O setor extrativo mineral teve saldo nulo. 

Para o economista e colunista da Folha de Londrina, Marcos Rambalducci, chamou a atenção o saldo negativo na indústria, já que em janeiro o número tinha sido positivo e a expectativa era que a geração de vagas no setor alavancasse nesse início de ano. 

Segundo ele, é a indústria que traz "dinheiro novo" ao município, porque fabrica localmente, mas vende para o mundo todo. "Embora não prepondere no PIB do município, quando a indústria vai bem, ajuda outros setores a se reerguerem." De acordo com Rambalducci, o saldo negativo da indústria em fevereiro mostra que o setor ainda não está conseguindo manter o crescimento e que a produção industrial deve cair em março. 

Comércio e serviços tiveram desempenho totalmente opostos no mês passado na cidade. Enquanto o setor de serviços foi o que mais contratou, o de comércio foi o que apresentou maior saldo negativo nesse segundo mês do ano. Rambalducci explica que essa é a inversão da situação enfrentada do final do ano passado, quando comércio estava contratando mais para atender o aumento da demanda nos meses de novembro e dezembro e serviços estava demitindo devido à diminuição da demanda de fim de ano. "Com o encerramento dos contratos de fim de ano, começa a acontecer no comércio uma desova. Por outro lado, em dezembro, houve um desligamento muito grande no setor de serviços, que agora está retrocedendo e fazendo contratações." 

SINAL FRACO 
Na visão do vice-presidente da Fiep (Federação das Indústrias do Estado do Paraná), Ary Sudan, a oscilação no nível de emprego da indústria é prova de que o sinal de retomada recebido pelo setor não foi suficiente para manter as contratações. As indústrias, segundo ele, ainda se encontram com muita capacidade ociosa. "Estamos oscilando porque a economia não decolou ainda", diz. "O pequeno acréscimo dos negócios não foi suficiente para o recrutamento imediato." 

No acumulado do ano, Londrina mantém saldo positivo de 246 vagas. Em 12 meses, porém, o sinal se inverte e o saldo de empregos na cidade fica negativo, com 2.219 vagas fechadas . 

ESTADO 
O Paraná foi o quarto Estado com maior saldo de empregos em fevereiro, com geração de 7.703 vagas e variação de 0,30% em relação ao mês de janeiro. São Paulo (30.040), Santa Catarina (16.344) e Rio Grande do Sul (13.024) apresentaram os melhores indicadores. Os setores de serviços (6.115), indústria da transformação (1.592) tiveram o melhor desempenho, e apenas comércio (-815) ficou com saldo negativo no Paraná. 

Em todo o País, foram criadas 61.188 novas vagas com carteira assinada no mês de fevereiro de 2018, decorrentes de 1,274 milhão de admissões e 1,213 milhão de demissões. O resultado é o melhor para o mês desde 2014, quando foram registradas 260.823 vagas. Em fevereiro de 2017, foram gerados 35.612 postos de trabalho.