13/11/2015 00:00:00 Concerto da Alegria: música de qualidade para celebrar a cidade

Fonte: Assessoria ACIL

Estes são o nome e o lema de um evento que vai movimentar a cena cultural de Londrina no próximo dia 19 de novembro. Na nova sede da Escola de Música Sol Maior, na Avenida Madre Leonia Milito, 499, a partir das 20h, o londrinense Roney Marczak, violinista de renome internacional, realiza o Concerto da Alegria com convidados: Grupo Sol Maior, Quarteto Descobertas, Orquestra Jovem de Londrina e Orquestra Londrinense de Viola Caipira. É uma realização do Centro Cultural e de Integração das Artes (CCIA) com apoio da ACIL, FIEP, Sincoval e Midiograf.

O ingresso custa R$ 60 (inteira) e pode ser adquirido na Sol Maior, Bolangerie do Nelson, Óticas Viso Center, Hachimitsu, livraria Angelus, Livros e Livros, Imobiliária Veneza, paróquias Dom Bosco e Imaculada Conceição e na padaria Brot da Avenida Duque de Caxias, próximo à prefeitura. Há também o ingresso promocional, de R$ 30, para quem doar um quilo de alimento não perecível ou um pacote de fraldas geriátricas – toda a arrecadação será destinada ao Asilo São Vicente de Paulo. Contato pelo fone (43) 3343.4445.

Trata-se da segunda edição de um concerto que encantou centenas de pessoas no final de julho, no Teatro Crystal, quando Marczak e os mesmos convidados protagonizaram o Concerto da Harmonia, promovido para celebrar a paz social e o entendimento. Os objetivos, para o dia 19, são os mesmos. “Esses eventos comprovam que as entidades de Londrina podem se unir através da cultura”, avalia o superintendente da ACIL Diego Rigon Menão. Depois de celebrar a Harmonia, agora é a vez da Alegria.

 

PS – O jornalista Paulo Briguet assistiu ao concerto de julho, no Teatro Crystal. Leia, abaixo, o que ele tem a dizer sobre o concerto de novembro.

 

Alegria em torno da música

Por Paulo Briguet

Dom Albano Cavallin costuma dizer que a área do Asilo São Vicente de Paulo e da Casa da Memória Madre Leônia Milito é a “Terra Santa de Londrina”. Pois é exatamente este o novo endereço da Escola de Música Sol Maior, projeto artístico-social do maestro e violinista londrinense Roney Marczak.

Para celebrar a nova casa, Marczak apresenta, no dia 19 de novembro, o Concerto da Alegria. Reunindo os músicos da Escola Sol Maior e convidados especiais, o espetáculo promete reeditar o sucesso absoluto do Concerto da Harmonia, realizado em 30 de julho.

Concerto da Alegria terá participação de 100 músicos, integrantes da Orquestra Jovem de Londrina, Orquestra Sol Maior, Orquestra Londrinense de Violas Caipiras e Quarteto Descobertas. Contará com a participação especial do guitarrista consagrado Kiko Jozzolino; do violinista Raphael Tavares, do Instituto Difusa (SP); do violoncelista Cesar Augusto, ex-aluno do Projeto Sol Maior e atual integrante da Escola Superior de Música de Belas Artes (Curitiba); do  empresário de Roney Marczak, Fred Rossi, último empresário de Vinicius de Moraes e Toquinho; e dos saxofonistas Luigi Marczak e Wesley Florencio.

Sentimento do mundo

Alegria. Joy. Freude. Joie. Alegría. Gioia. Radość. Bucurie. Yorokobi. Chadah. Em todas as línguas e culturas, o sentimento da alegria percorre os altos momentos da música e das artes em geral. O escritor irlandês C. S. Lewis, autor de “As Crônicas de Nárnia”, costumava grafar Alegria com letra maiúscula, como se fosse uma pessoa. Para ele, Alegria era o instante em que a eternidade se revelava individualmente ao espírito humano.

Há algo que une a Serenata Noturna de Mozart e o Frevo das Vassourinhas; os sucessos de Michael Jackson e Luar do Sertão; Funiculi Funicula e Aquarela Brasil. O valor da alegria foi o critério para o maestro Roney Marczak escolher o repertório do espetáculo, que inclui temas de Mozart, Vivaldi, Cláudio Santoro, João Pernambuco, Lupicínio Rodrigues, Zequinha de Abreu, João Bosco, Michael Jackson, Luigi Denza, Matias da Rocha, Ary Barroso e Roberto Carlos, além de composições e arranjos do próprio Roney e do Quarteto Descobertas.

O concerto do próximo dia 19 vai mais uma vez unir a cidade em torno de um projeto artístico-musical de alta qualidade e relevância. Músicos de todas as idades e classes sociais interpretando obras populares e eruditas para um público amplo e diversificado.

Com esses ingredientes, tem como o resultado não ser bom?