10/05/2016 00:00:00 Startup londrinense que criou solução de biometria facial dobra faturamento

Fonte: Folha de Londrina

A startup londrinense de gestão eletrônica de documentos Arkivus vai recompensar seus funcionários por terem dobrado o faturamento proveniente das mensalidades de seus produtos com uma viagem de cinco dias a Las Vegas (EUA) com suas esposas e tudo pago. Essa, segundo o diretor presidente da empresa, Marcelo Stuani Zanelatto, foi uma maneira de estimular os colaboradores a contribuírem para o crescimento da empresa, que começou na incubadora da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e no ano passado conquistou seu primeiro R$ 1 milhão de faturamento. O resultado veio depois de a empresa crescer mais de 50% em relação ao ano anterior. Para 2016, a expectativa é atingir 60% de crescimento. 

Os 13 funcionários e estagiários da Arkivus ficarão em um hotel cinco estrelas e ainda terão direito a ingressos para assistir a um espetáculo do Cirque du Soleil e a uma festa programada pela empresa. A viagem está marcada para julho deste ano. Zanelatto conta que geralmente os colaboradores recebem bonificações em dinheiro, mas neste ano a empresa quis fazer com que eles tivessem uma experiência que pudessem levar para toda a vida. E como se trata de uma empresa jovem, de tecnologia, nada melhor que levá-los a uma cidade que vive do turismo de entretenimento. 

"Este ano quisemos fazer algo diferente, porque nosso propósito é fazer nossos funcionários vivenciarem novidades na vida. Estabelecemos uma meta ousada de dobrar o faturamento de valores mensais e em menos de quatro meses conseguimos alcançar a meta", conta o diretor presidente. Segundo ele, são poucos os colaboradores que já viajaram para outros países. Para a maioria, esta será sua primeira experiência no exterior. Esse é o caso do consultor de vendas da Arkivus, Vinicius Nogueira Costa. "Eu já tinha vontade de ir para os EUA. Vai ser a realização de um sonho." 

Clientes nacionais

Com oito anos de existência, a Arkivus saiu da incubadora da UEL e hoje tem clientes nacionais como Riachuelo e Pernambucanas, que executa hoje um projeto piloto usando um produto da empresa. Em 2013, a empresa saiu da incubadora da UEL e hoje ocupa uma sala de 140 m² em um condomínio comercial da Gleba Palhano. 

A startup londrinense é criadora de uma solução de biometria facial que faz o reconhecimento de fraudadores no varejo. O software faz a avaliação de dados do consumidor que está fazendo um cadastro para obter crédito na loja. Usando imagens da webcam obtidas no momento que é feita a foto do cliente, a solução é capaz de reconhecer fraudadores a partir de um banco de dados alimentado por todos os estabelecimentos que utilizam o software. Hoje, mais de 2 mil lojas já utilizam esse sistema e até o final do ano a empresa planeja dobrar o número. 
Outro produto da empresa é um software de gestão eletrônica de documentos. "O software faz a gestão de qualquer documento que a empresa tem interesse em colocar no formato digital", explica Zanelatto. A solução já é utilizada por mais de 60 clientes, como Viação Garcia e Fiat Marajó, conta o diretor presidente da Arkivus. 

Apesar de ser uma desenvolvedora de software, a startup de Londrina comercializa suas soluções como um serviço, cobrando mensalidades com valores considerados mais acessíveis. Só neste ano, a empresa já conseguiu faturar cinco vezes mais que no ano passado inteiro com as mensalidades, afirma Zanelatto.