19/01/2015 00:00:00 Mais de 300 mil residências ficam sem luz no Paraná

Fonte: Jornal de Londrina

Cerca de 300 mil domicílios paranaenses ficaram sem energia elétrica na tarde desta segunda-feira (19). De acordo com a Companhia Paranaense de Energia (Copel), os cortes seletivos de 320 MW de carga ocorreram por ordem do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). O problema também afetou várias unidades consumidoras em Londrina.
.Em nota, a Copel informou que, por determinação do Operador Nacional do Sistema (ONS), precisou cortar 320 MW de carga do sistema elétrico no estado, o equivalente a 6% da carga total, às 14h54.
"A manobra foi acionada pelo Esquema Regional de Alívio de Carga (ERAC) e teve seu ápice por volta das 15h15, momento em que 300 mil domicílios de diferentes regiões do Paraná tiveram o fornecimento de energia interrompido", informou a companhia.
Por volta das 16 horas, a situação já havia sido normalizada. A Copel esclarece que o ERAC é um dispositivo acionado por determinação do ONS automaticamente e as áreas afetadas são determinadas previamente.
No Paraná, nenhuma unidade essencial - como hospitais, corpo de bombeiros e órgãos públicos - foi afetada.

Distribuidoras

Além da Copel, as distribuidoras CPFL e Eletropaulo, de São Paulo, e Ligth, do Rio de Janeiro, confirmaram ter rebebido ordem para cortar a carga de eletricidade. Há possibilidade de que outros Estados tenham sido afetados.
As empresas afirmaram que não sabiam os motivos para o corte de carga, que já começou a ser restabelecida em áreas de concessões atingidas. Segundo elas, o corte ocorreu em locais não prioritários, evitando hospitais e indústrias, por exemplo.
O corte seletivo de carga ocorreu dentro do denominado ERAC (Esquema Regional de Alívio de Carga), sistema de proteção coordenado pelo ONS, que determina às concessionárias de energia elétrica cortes em estágio, com o objetivo de preservar o fornecimento do sistema, informou a CPFL.

Corte de Carga

Houve corte de 800 MW nas área de concessão da CPFL nos Estados de São Paulo e no Rio Grande do Sul, de 320 MW na área da Copel (PR), 700 MW na área da Eletropaulo (SP). A Light não pôde informar de imediato o tamanho do corte em sua área de concessão.
O ONS não informou de imediato o motivo do pedido de corte na carga às distribuidoras e não confirma os locais atingidos, mas, por meio de sua assessoria, assegurou que há áreas no país em que o fornecimento foi interrompido.
O Ministério de Minas e Energia afirmou que compete à ONS dar mais detalhes.