11/09/2015 00:00:00 Onde investir na minha empresa?

Fonte: Núcleo de Consultores Associados - Revista Mercado em Foco ACIL

Sendo ameaçado a todo momento pela situação atual da nossa economia, você deve estar cheio de dúvidas sobre o próximo passo do seu negócio. Devo comprar aquele equipamento agora? Devo contratar ou enxugar? Aumentar ou diminuir o estoque? Iniciar aquela reforma? Todas essas questões podem ser resumidas assim: investir ou aguardar?

Existem muitas maneiras de se responder essas perguntas, podemos ver os controles financeiros ou mesmo conversar com outros colegas empresários. A grande verdade é que cada uma dessas alternativas vai nos trazer alguma resposta. Contudo, traremos aqui uma forma muito simples, que pode ser feita de várias maneiras (possivelmente você já deve fazer algumas).

Está com dúvidas sobre onde investir na sua empresa? Pergunte ao seu cliente!

Eis a resposta para a maior parte dos seus questionamentos! Mesmo em tempos incertos não podemos parar nossas atividades para ver o que vai acontecer, precisamos nos mexer, não tem jeito. De uma maneira ou de outra você precisa se tornar melhor para se manter no mercado, pois a situação pode ficar crítica de verdade, além de que seus concorrentes também estão em alerta e melhorando suas próprias empresas.

Você provavelmente já deve estar sentindo essa pressão, não é mesmo?

Então, pergunte a quem paga a conta! O investimento mais certo é aquele que traz mais benefícios para o seu cliente. Muitas vezes, ficamos tomados pelas nossas percepções daquilo que o cliente espera e acabamos não dando a chance para que ele próprio nos fale. Assim corremos grandes riscos de errar, e feio.

É comum, depois de algum tempo de vida da empresa, seu fundador ficar imerso por problemas administrativos, principalmente os financeiros. Geralmente, faz isso para que aquilo tudo que foi construído pelo seu esforço não seja usado indevidamente. Além disso, muitos empresários acreditam que estar em posições de controle financeiro é suficiente para deixar a organização nos trilhos. No entanto, ao se afastar gradativamente do seu cliente, o empresário também se distancia dos motivos que o fizeram conquistar seu legado.

Então vamos te ajudar: se você tem um comércio, reflita, você tem conversado o suficiente com seus clientes? Tem perguntado como está o atendimento dos vendedores? Questionou se aquilo que foi vendido de fato solucionou o problema do cliente? Se ficou com dúvidas sobre essas questões, possivelmente alguma coisa está escapando.

A propósito, muito cuidado com o risco de sermos enganados por paradigmas antigos. Veja o que fala Karl Albrecht em “A Revolução dos Serviços”: quanto mais tempo a empresa tem, maiores as chances de sermos enganados pelo passado. Por isso, muitas vezes é necessário que esse “perguntar ao cliente” seja feito por um terceiro capaz de trazer uma certa isenção daquilo que se quer pesquisar, e isso pode ser realizado por uma consultoria ou por uma empresa de pesquisas de mercado. No entanto, às vezes não há verba para a contratação de um profissional desse tipo; assim poderíamos, como alternativa, organizar uma visita “secreta” de um conhecido seu para avaliar seus funcionários e a sua estrutura: o famoso cliente oculto. Outra forma de se buscar informações é criar questionários para serem enviados pela web ao público que se quer investigar. Por fim, o bom e velho telefonema pode ser o meio ideal para buscar indícios de como está a sua organização, e assim auxiliar na criação de pontos de vista diferentes do seu próprio para conseguir avaliar se aquele gasto que você está planejando faz sentido ou não.

Portanto, de uma forma ou de outra: PERGUNTE AO SEU CLIENTE!


-
Núcleo de Consultores Empresariais / Programa Empreender ACIL - Rede de empresas especializadas em consultoria e treinamentos para indústria, comércio e serviço.