27/03/2017 08:05:09 Atos quer Londrina como centro para América Latina

Fonte: Folha de Londrina

Atualmente com 560 empregados, a filial da Atos em Londrina deve se tornar o centro de competências da corporação francesa para a América Latina. O presidente da empresa, Yves Guillaumot, visitou a cidade na semana passada e conversou com a reportagem. Segundo ele, em dois anos, a expectativa é que a unidade londrinense tenha 700 colaboradores. "Londrina vai crescer", diz. "Vamos ter que investir mais", garante.

A expansão física também será inevitável. O local que abriga hoje as atividades da empresa tem capacidade para apenas mais 50 pessoas. Para o presidente, a importância da cidade para a operação da empresa se deve aos recursos humanos oriundos de uma boa estrutura de faculdades e à qualidade e ao custo de vida mais barato.

A parceria com universidades será fundamental para o aumentar o nível de "senioridade" dos funcionários. De acordo com Marcos Brunele, diretor de Serviços Gerenciados da Atos, a operação em Londrina já é praticamente completa: além de service desk, possui equipes atuando nas áreas de continuous improvement, digital workplace, sistemas operacionais, banco de dados, monitoração de clientes, middleware, infraestrutura web, fábrica de software e de testes, por exemplo.

"Estamos mudando pouco a pouco com trabalho de maior valor agregado." O que é preciso, hoje, é aumentar o nível de "senioridade" da equipe, diz Brunele, o que a empresa pretende fazer através de qualificação interna, com a Atos University (universidade on-line oferecida pela companhia) e de parcerias com universidades locais.

O presidente da Atos para a América Latina também quer que a unidade de Londrina se torne, aos poucos, centro de competência para outros países, além de Peru, Colômbia e Chile, hoje já atendidos pela filial. "Eu também gostaria que Londrina fosse centro de competência para a Argentina", diz. Isso vai depender, entretanto, das regras de cada país.

O crescimento da Atos na América Latina, segundo Guillaumot, foi de dois dígitos em 2016. "Fomos ajudados pelos Jogos Olímpicos." A Atos é parceira mundial de Tecnologia da Informação (TI) do Comitê Olímpico Internacional (COI). A perspectiva para 2017 é que o crescimento atinja o mesmo patamar e o presidente aposta em tecnologias como Big Data e Security IT e High-Performace Computing (HPC), área em que a Atos passou a atuar depois de adquirir uma companhia francesa do ramo.