23/01/2019 09:05:12 Chegou a hora de mudar

Por Micaela Orikasa - Lidere 2018 - ACIL

 

Flávio Tavares, CMO da Golsat e fundador do Instituto Parar, subiu ao palco Inovação do LIDERE 2018 inspirado nas experiências que vive no dia a dia e propôs um exercício ao público: mudar.

Certo de que a mudança causa estranheza em um mundo de imprevisibilidade, Tavares tomou como ponto de partida três perguntas para motivar a plateia a “inovar” no modo de viver a vida.

A primeira é: o que precisa mudar? Acostumado a frequentar reuniões em grandes corporações para ajudar gestores a repensarem a maneira como fazem negócios, ele destaca a leitura de mundo através de um novo olhar.

Para isso, ele direciona a palestra para as evoluções tecnológicas e o comportamento das gerações Y e Z. “Eles têm outra percepção de mundo. Um bom exemplo é que hoje, 62% desses jovens consideram dispensável possuir um veículo no futuro. Só no estado de São Paulo, mais de 50% dos que completaram 18 anos não tiraram CNH. Na minha época, a maioridade era representada pela aquisição de um carro”, lembra.

Partindo dessa comparação, Tavares destaca o quanto esses jovens têm a ensinar ao valorizarem novas experiências e causas. “Toda essa evolução está acontecendo e não se pode ignorá-la, assim como as tecnologias que estão surgindo para melhorar a vida das pessoas, para resolver alguma ‘dor’ da sociedade”, afirma, citando o conservadorismo que persiste em alguns ambientes corporativos.

Mas como fazer isso? Segundo Tavares é tendo propósito. Nesse momento, ele reflete que o ser humano tem como propósito essencial, o crescimento, mas que em determinado momento da vida, estaciona por crenças ou por “achar que já tem a receita do bolo”.

“Parece que estamos perdendo a condição de seguir crescendo. Isso é nítido nas relações, no exercício de olhar para o outro. Tudo isso vem perdendo espaço pelo egocentrismo”, destaca.

Tavares lembra que na busca de grandes líderes, as pessoas se esquecem que a verdadeira mudança “está nos microlíderes, naqueles que fazem a diferença na vida de muitas pessoas dia a dia, distante dos nossos olhos”, completa.

Então, a última pergunta é por que mudar? Porque segundo Tavares, as pessoas são sempre e serão o mais importante. “É isso que vai contar ao longo da sua jornada. O quanto você amou e o quanto foi amado. Mais importante que o destino é a jornada. A intensidade que você vive. O propósito da vida não é a felicidade e sim, em ser útil”.