26/12/2019 17:20:04 Com Natal otimista, empresários projetam negócios aquecidos em 2020

Fonte: Assessoria ACIL

Os números positivos do Natal alimentaram uma onda de otimismo no varejo em relação à 2020. Em pesquisa encomendada pela ACIL, 93,4% dos empresários entrevistados já projetam vendas melhores no próximo ano. 

Já em consideração à 2019, 70% dos lojistas avaliam que suas vendas foram maiores ou iguais ao ano passado. Os entrevistados que não notaram crescimento justificaram como motivo a economia do País (38,9%), consumidores com medo de gastar (22,2%), desemprego (11,1%), política (5,6), entre outras situações como aumento de mercadoria e concorrência do segmento.

Vendas de Natal

Neste ano, 67,7% dos empresários afirmaram que as vendas de Natal foram maiores ou iguais à 2018. Óticas foi o segmento que mais apresentou crescimento (8,1%), seguido de móveis/eletrodoméstico (8,0%), semijoia/joia (5,8%) e outros (0,4%). O único segmento registrado com resultado negativo foi o de vestuário (- 6,1%).

Os lojistas que responderam ter suas vendas reduzidas (32,2%) justificaram como motivo da queda: a crise (30,8%), não souberam responder (19,2%), chuva (15,4%) e outras situações como problemas com fornecedores, muita concorrência e a antecipação das compras na Black Friday. 

“A confiança dos consumidores tem melhorado gradualmente. Já é visível que a recessão ficou para trás e que temos uma excelente margem para o crescimento nos próximos anos. O movimento no comércio permaneceu forte, especialmente à noite com as atividades natalinas acontecendo. Infelizmente, a chuva intensa que ocorreu na semana que antecede o Natal acabou tirando os consumidores das ruas, afetando um pouco as vendas. Mas de forma geral, este ano já alcançamos resultados muito positivos e podemos aquecer as expectativas para 2020”, ressalta o presidente da ACIL, Fernando Moraes.

O tíquete médio também foi consideravelmente melhor neste Natal em comparação com o triênio 2016/17/18. Em 2019, cada consumidor gastou em média R$ 210,31, contra R$ 205 do ano passado (em 2017, a média ficou em R$ 177,78 e no ano anterior em R$ 183,83).

Sobre as formas de pagamento mais utilizadas nas compras pelos consumidores estão parcelamento no cartão de crédito (85,1%), à vista em dinheiro/cheque (79,3%), cartão de débito (66,9%), à vista no cartão de crédito (56,2%), crediário (19,8%), boleto (14%) e parcelamento em cheque (11,6%).

O levantamento encomendado pela ACIL ainda mostrou que a realização de estratégias diferenciadas para atrair consumidores ainda não é algo tão comum na operação das empresas. Enquanto 58,7% dos lojistas responderam ter utilizado ações diferenciadas para alavancar as vendas de Natal, 41,3% optaram por não utilizar nenhuma estratégia.

Segundo a pesquisa, as ações do Londrinatal também foram importantes para as vendas. Do total de entrevistados, 57% disseram que decoração, iluminação e apresentações artísticas estimularam o movimento nas lojas.

Outro dado importante diz respeito ao perfil dos consumidores. De acordo com 78,5% dos lojistas, foi possível observar a presença de visitantes de outras cidades consumindo no comércio local.

Para janeiro de 2020, 60,3% dos empresários informaram que já se preparam para promover a tradicional liquidação de início de ano.

A pesquisa encomendada pela ACIL foi realizada pela Litz Consultoria.

* Nas questões em que a soma dos números ultrapassa a margem de 100%, os entrevistados puderam escolher mais de uma alternativa como resposta.