02/07/2015 00:00:00 Comissão vai discutir duplicação da PR-445 pela Prefeitura de Londrina

Fonte: Jornal de Londrina


A Prefeitura de Londrina foi convidada esta semana pelo Governo do Estado para integrar uma comissão que vai definir o processo de duplicação da PR-445. A proposta foi feita na última segunda-feira (29), em Curitiba, durante encontro entre o prefeito Alexandre Kireeff (PSD) e o secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, José Richa Filho. Os detalhes desta reunião devem ser divulgados em entrevista coletiva marcada para a manhã de quinta-feira (2), na Prefeitura.


Entre os pontos que devem ser discutidos pelo grupo está a definição de leis que permitam a concessão da rodovia ao Município. Em março deste ano, Kireeff protocolou na Casa Civil um pedido para que a duplicação dos 79,6 quilômetros da PR-445 entre Londrina e Mauá da Serra fique sob a responsabilidade da administração municipal. No entanto, parecer da Procuradoria Geral do Estado apontou a ausência de legislação específica para a cessão de rodovias para prefeituras.

“Vamos atuar juntos neste processo e levar propostas, que vão ajudar na escolha da melhor solução para PR-445”, afirmou Kireeff, em entrevista para a Agência Estadual de Notícias (AEN).

O governo ainda divulgou que o Estado já está fazendo um trabalho de contagem de veículos na região, que dará mais subsídios à comissão. “Além deste levantamento, o governo vai levar alguns estudos técnicos sobre a duplicação, que já foram feitos pelo DER [Departamento de Estradas de Rodagens]”, informou nota divulgada para a imprensa.


Obras devem custar R$ 210 milhões

Estudos iniciais apontam que o Município terá de investir cerca de R$ 210 milhões na duplicação da PR-445. Estes recursos seriam obtidos por meio de financiamentos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Se for necessário, Londrina pode até requisitar R$ 1 bilhão em financiamentos.

Pelo planejamento da Prefeitura, a obra de duplicação dos quase 80 quilômetros entre Londrina e Mauá da Serra levaria pouco mais de três anos para ser concluída. De acordo com Kireeff, a ideia é instalar apenas uma praça de pedágio, com tarifa em torno dos R$5. Os custos com a obra seriam pagos dentro de 12 anos, o que seria vantajoso, já que o período de delegação de Competência do trecho para o Município é de pelo menos 25 anos.