02/02/2015 00:00:00 PATRÕES ANTES DOS 30 - Cresce o número de empreendedores jovens

Fonte: Folha de Londrina

Grande parte da geração Y, jovens nascidos entre o fim da década de 1970 e a metade da década de 1990, está achando mais vantajoso ser o próprio patrão e abrir um negócio do que entrar no mercado de trabalho formal. Uma pesquisa da Data Popular mostrou que, em 2013, já existiam 1,5 milhão de jovens empreendedores no Brasil com idade entre 16 e 24 anos. A pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), divulgada no ano passado com dados também de 2013, confirmou que, das empresas abertas com até três anos de atividade no Brasil, 50% eram de jovens entre 18 e 34 anos. O desafio desses jovens patrões e empreendedores, no entanto, continua sendo mostrar a capacidade de liderança para os empregados e clientes. 

Por outro lado, segundo o consultor do Sebrae Londrina, Rubens Negrão, esses jovens também têm uma vantagem enorme em relação aos empreendedores mais velhos: a maioria não é casado, ainda mora com os pais e não têm muitos compromissos financeiros assumidos. "Até os 30 anos é o momento chave para o jovem iniciar o seu negócio, por conta dessa facilidade. Se não der certo, ele acaba tendo a segurança e tempo para começar em outro emprego, ou fazer outra atividade." 

Negrão destaca também a tendência das empresas abertas por "oportunidade", e não por "necessidade". "A pesquisa GEM também mostrou que 71% das empresas abertas por pessoas até 44 anos no Brasil foram abertas por oportunidade. Ou seja, por pessoas que acompanham tendências do mercado. É diferente de você abrir um negócio por necessidade. Isso mostra que as pessoas estão mais preparadas para empreender". Até 2002, 58% das empresas abertas no País eram por necessidade. "Até 2006 esse número foi caminhando meio a meio, mas a partir de 2007 esse cenário mudou, até atingir o recorde de 71% de empresas abertas por oportunidade em 2013. Isso aconteceu porque muitas profissões não existiam no passado, como coordenador de mídias sociais ou prestação de serviços e profissões que favorecem o empreendedorismo e atraem os jovens", explica. 

DESAFIO

Para os jovens líderes, mais do que iniciar o negócio, há muita dúvida sobre como lidar com os empregados mais velhos, hierarquia ou mesmo com os clientes. Mas isso depende muito mais da característica pessoal do que necessariamente da idade do profissional. "Você pode ter uma hierarquia mais flexível, porque os jovens da geração Y não têm muita paciência com grandes empresas, onde tudo é muito burocrático ou os horários são muito rígidos, por exemplo. Então esse tipo de relação pode facilitar o trabalho. No entanto, tudo depende do tipo de serviço ou ambiente de trabalho que se está inserido", aconselha. 

Na opinião do consultor, alguns funcionários necessitam de horário flexível, enquanto outros precisam de mais regularidade. "É preciso adaptar seu tipo de negócio e empresa ao seu ramo. Que horário seus clientes te procuram? Você precisa ter alguém lá para atender esse cliente. Tudo pode ser flexionado, desde que você pense primeiro no cliente". Sempre cumprir os prazos e o que foi combinado com a equipe também são ações que aumentam sua credibilidade como líder. "Se foi combinado, cumpra. Se houver pessoas mais velhas e mais experientes na sua equipe, abra um canal de comunicação e converse. Escute todos os funcionários, faça reuniões regulares. Um líder, mesmo jovem, pode conquistar a confiança da equipe e crescer", acredita.