18/06/2015 00:00:00 Crise x inovação = receita de sucesso para o momento

Fonte: Blog Sebrae

Em tempos de crise na economia, uma modalidade de empreendedorismo vem se destacando no País: os microempreendedores individuais (MEI), aqueles com faturamento anual de até R$ 60 mil. Cinco anos depois da criação dessa figura jurídica – instituída por lei em 2009 –, o Brasil bateu a marca de 5 milhões de MEI neste mês de maio. O número é alto, se comparado ao crescimento dos outros portes de empresas, e o ritmo vem se acelerando.

“Temos percebido que ainda há pessoas que estão empreendendo mais por necessidade do que por oportunidade. Muitos perdem o emprego, se veem sem renda e decidem abrir um negócio. E essa modalidade é a preferida por questões como rapidez e facilidade de abertura e baixa tributação”, analisa a consultora do Sebrae/PR, Juliana Schvenger, gestora do MEI na região de Curitiba. Ela ressalta que, de um rol de 15 milhões de empresas existentes no Brasil, 36% são MEI.

O dado mais recente disponível no Portal do Empreendedor mostra que, até 30 de abril, eram 4,8 milhões de MEI brasileiros cadastrados. Um ano antes, essa modalidade totalizava 3,9 milhões de empresários. A maior concentração está em São Paulo, com 1,2 milhão de MEI, seguido de Rio de Janeiro, com 589 mil. Minas Gerais tem 525 mil MEI, a Bahia, 311 mil, Rio Grande do Sul contabiliza 269 mil e Paraná, 266 mil. Roraima é o estado com menor número de microempreendedores individuais, são 9,5 mil.

De acordo com a consultora do Sebrae/PR, não é possível mensurar se o mercado tem espaço para todos. Ela ressalta, no entanto, que trabalhar a gestão da empresa é a receita para o sucesso. “Terá sucesso no seu negócio quem oferecer inovação e criatividade. Não basta ser um concorrente de alguém, precisa oferecer algo novo, diferente do tradicional, por isso, a criatividade faz a diferença. Esses têm resultado”, ensina.

Por onde começar? Quais os primeiros passos para abrir um negócio com boas chances de sucesso? “É necessário se preparar. Faça os cursos, venha ao Sebrae conversar, tire informações, observe o mercado. A necessidade do cliente é aquilo que eu ofereço? Se não, preciso inovar”, detalha Juliana.

Uma análise correta do mercado é fundamental, sobretudo, durante crises econômicas. Saber se o produto que se pretende oferecer continua tendo saída em momentos mais difíceis para as finanças do consumidor é um passo seguro para o sucesso do empreendimento. “Também é necessário fazer controles diários, de fluxo de caixa, vendas. Um controle básico do dia a dia, nem que seja manual, só para saber quanto houve de receitas, vendas mês a mês. Tudo isso é parâmetro para tomar decisões de reduzir custos, optar por outros produtos para oferecer ao mercado”, explica a consultora do Sebrae/PR.

O Sebrae oferece atendimento gratuito para os microempreendedores individuais formalizados, por meio de orientações semanais com os consultores nas Salas do Empreendedor do Estado e também nas Oficinas SEI, que, durante quatro horas cada, trabalham vários temas. Entre eles, estão SEI Vender, SEI Planejar, SEI Comprar, SEI Unir Forças, SEI Controlar Meu Dinheiro, SEI Empreender, SEI Crescer.

As Salas do Empreendedor, espalhadas por 109 cidades do Estado, também são o lugar indicado para interessados em se formalizar na categoria MEI. Nesses locais, mantidos pelo poder público municipal, é possível receber informações, capacitações e soluções de maneira gratuita. Os endereços e a programação das oficinas podem ser consultados na páginahttp://www.sebraepr.com.br/passeaqui/.