13/11/2019 08:49:45 Décimo terceiro deve injetar mais de R$ 300 milhões na economia londrinense nesse fim de ano

Fonte: Rádio CBN 

A estimativa do DIEESE, Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, é feita a partir dos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, o Caged, e de outros levantamentos e chegou a R$ 470 milhões. Mas, como a primeira parcela do 13º já foi paga ao funcionalismo público, tanto federal quanto municipal, e aos aposentados, o volume de recursos a serem injetados, efetivamente, na economia da cidade, agora no fim do ano, deve girar entre R$ 300 a R$ 320 milhões, é o que afirma o economista e consultor da Associação Comercial e Industrial de Londrina, Marcos Rambalducci.

De qualquer forma, diz o economista, esse dinheirão, que deve começar a circular pela economia local já a partir da próxima semana, vem animando os varejistas, ainda mais com a liberação dos saques do FGTS pelo Governo Federal

Rambalducci explica que boa parte do 13º deve ser usada mesmo no pagamento das dívidas. Mas, ao contrário do que muitos podem pensar, isso também é bom para o varejo.

Entre os que mais devem se beneficiar com esse dinheirão, alguns setores tradicionais nas festas de fim de ano, como as lojas de departamentos, de calçados, perfumaria e os eletroeletrônicos. Mas, o economista diz que, no geral, todo mundo ganha, dos restaurantes aos cabeleireiros.

Rambalducci afirma ainda que outra fonte de recursos para a economia londrinense nessa época do ano vem dos pequenos municípios da região. O economista elogia o investimento na decoração de Natal, como um fator de atração de consumidores, que segundo ele devem trazer para cá em torno de 25% do 13º pago aos trabalhadores dessas cidades.

Em todo o país, o 13º salário deve injetar mais de R$ 210 bilhões. Para quem ainda não recebeu a primeira parcela, ela começa a ser paga na próxima quarta-feira, 20 de novembro.