10/08/2014 00:00:00 Dia dos Pais faz comércio reagir

Fonte: Folha de Londrina

O sábado foi de comércio movimentado devido às compras do Dia dos Pais. A data coincidiu com o pagamento do salário, lojas abertas até mais tarde e liquidações de inverno. A Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil) não realizou pesquisa em relação às expectativas de venda para o Dia dos Pais deste ano. Porém, em pesquisa informal realizada com comerciantes, o diretor comercial da Associação, Fernando Moraes, disse ter notado um ânimo maior após dois meses de resultados abaixo do esperado. 

"A expectativa está melhor que no mês passado. Passamos por dois meses muito reprimidos por causa da Copa do Mundo. É o primeiro mês cheio após o mundial, sem feriados e jogos. Estamos sentindo que o mês iniciou melhor", disse. Segundo ele, além de diminuir o ritmo de vendas em dias de jogos, a Copa acabou beneficiando alguns segmentos em detrimento de outros. "Não vamos chegar ao patamar do ano passado (quando foi registrado um aumento de 1% nas vendas em relação a 2012), mas estamos um pouco mais contentes." 

No comércio, os lojistas se mostravam animados. De acordo com a gerente da loja de confecções Billie Homem, Paola Rafaela da Silva, o movimento em busca do presente do Dia dos Pais vem se estendendo desde terça-feira. "Estamos vendendo produtos com preços desde R$ 39, para camisas, até R$ 69, R$ 79 para sapatos. Estamos com descontos de até 50% nas peças de inverno, e isso ajuda bastante." As vendas de presentes para os pais este ano, conforme a gerente, repetem o mesmo bom resultado do ano passado. Segundo ela, o Dia dos Pais é uma das datas mais importantes para a loja, junto com o Natal e o Dia dos Namorados. 

Na opinião de Fernando Moraes, da Acil, os segmentos de vestuário, calçados e eletrônicos devem ser os mais beneficiados nesta data. Sobre o tíquete médio das compras para a ocasião, ele estima que os filhos este ano estejam gastando mais do que no ano passado, devido à compra de produtos de valores mais altos, como os eletrônicos. 

Nas lojas, os filhos procuravam camisas, sapatos, colônias, loções de barbear, entre outros mimos. A enfermeira Franciele Smanioto desembolsou R$ 200 em um sapato para o pai. Elaine Ribeiro, funcionária pública, aproveitou a liquidação de inverno e conseguiu comprar um sapato e uma camisa com R$ 150. O casal Aislan de Mello Coelli, bombeiro, e Cristiane Coelli, estudante, saíram juntos para procurar os presentes, e ambos procuravam uma camisa na casa dos R$ 60. 

A gerente da loja O Boticário do Calçadão, Maria Cardoso, confirmou que o tíquete médio das compras aumentou este ano. Enquanto no ano passado os filhos se restringiam a produtos de valores mais baixos, como desodorantes e loções pós-barba, este ano estão investindo em presentes mais caros, como as colônias. Este foi o caso de Gabriel Domingues, que começou a trabalhar este ano. "Vou comprar um perfume de R$ 100. É a primeira vez que estou dando presente, pois comecei a trabalhar agora, com serigrafia." Por causa do aumento do tíquete médio das compras, Maria disse acreditar que as vendas deste ano deverão superar em até 15% as do ano passado. 

Por causa do Dia dos Pais, o comércio da cidade permaneceu aberto até as 21 horas na quinta e na sexta-feira. Ontem, as lojas atenderam até as 18 horas. Para os lojistas, foi uma oportunidade de vender mais. "Para nós foi muito bom. O pessoal já está se acostumando com o centro aberto até mais tarde em datas comemorativas", comentou a gerente do O Boticário, Maria Cardoso. Quem andou pelo centro da cidade aproveitou também para fazer outras compras. "Estou comprando um perfume para meu pai, e aproveitei para levar mais algumas coisas para mim. É assim, a gente sai para ver presente e acaba gastando mais", desabafou a gerente de pastelaria Renata Fernanda Fonseca. 

Com as vendas um pouco melhores em agosto, o diretor comercial da Acil, Fernando Moraes, espera que o restante do ano se mantenha no mesmo ritmo. "Não vai chegar ao mesmo patamar do ano passado mas vai ficar mais animado do que estava", reforçou.