27/11/2019 08:22:56 Dica Empresarial: "Organização interna e ética ajudam a crescer"

Fonte: Comunicação Lidere 2019 

Uma empresa precisa ter uma base sólida para completar meio século de existência. Porém, antes da robustez econômica, há que se ter uma filosofia de princípios. “Meu pai (Ézaro Fabian) não concordava com a metodologia usada em outras construtoras, do mal feito e da corrupção”, revelou o empresário Alexandre Fabian, um dos palestrantes dos Talks Simuntâneos do Lidere 2019. E é com essa ideologia que, hoje, a empresa segue acumulando inúmeros prêmios e vigora há um bom tempo entre as maiores e melhores construtoras do país, de acordo com o ranking “Valor 1000”, realizado anualmente pelo jornal Valor Econômico.

Quem vê inúmeros edifícios da construtora não imagina que a Plaenge nasceu numa pequena sala de 12 metros quadrados. “Não havia nem banheiro”, recorda. A Plaenge acumula mais de 27 milhões de metros quadrados em apartamentos construídos. No Brasil, a construtora ergueu 383 torres e, no Chile, 24. “Sem falar nos empreendimentos empresariais presentes em 18 estados brasileiros. 60% das plantas da Coca-Cola foram feitas pela nossa construtora no País”, comentou. A construtora gera 2 mil empregos diretos e 7 mil indiretos.

Mas em meio aos números, princípios que fizeram a construtora chegar ao patamar de maior da região sul do Brasil. “Ao longo de todo esse tempo, a Plaenge nunca teve um presidente ou um CEO. A gestão é participativa, todas as decisões são tomadas num consenso entre diretores, com respeito ético e íntegro”, disse Fabian. A empresa foi a primeira construtora, por exemplo, a ter um Código de Ética no Brasil. Outros pontos de destaque estão nos projetos de responsabilidade ambiental e gestão de valores individuais (a construtora tem um programa de bolsa de estudos, de jovem aprendiz, desenvolvimento de pessoas com algum tipo de deficiência e ações sociais).

E agora, prestes a completar 50 anos, a construtora alça novos projetos. A Plaenge inicia lançamentos em Campinas, no interior de São Paulo, e ano que vem chegará em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. E como serão os próximos 50 anos? O tempo dirá…