26/11/2014 00:00:00 ECO.TI vai discutir estratégias para alavancar o setor na região de Londrina

Fonte: JL

No momento em que Londrina começa a buscar sua consolidação como polo tecnológico, um evento de peso vem dar um primeiro impulso. Começou ontem na cidade a segunda edição do Ecossistema de Tecnologia da Informação e Comunicação de Londrina e Região (ECO.TI), evento que vai discutir estratégias para alavancar o mercado da tecnologia de informação da região.

Até amanhã, empresários, empreendedores e profissionais do setor se reunirão no Buffet Planalto para palestras, painéis e talk-shows com alguns dos nomes mais representativos do Brasil na área. A organização espera a participação de cerca de 500 pessoas da região e de outros estados.

Realizado pelo Sebrae/PR e o Arranjo Produtivo Local (APL de TI), o ECO.TI 2014 foi aberto com palestra do executivo da IBM Brasil, Henrique Von do Amaral. Entre as presenças mais aguardadas do evento estão Davi Braga, que aos 13 anos é empreendedor e fundador da startup List-IT, e Daniel Dalarossa, fundador da Cyclades Corporation, a primeira startup brasileira a fazer sucesso no Vale do Silício, nos Estados Unidos.

“O evento posiciona o setor londrinense de Tecnologia da Informação e Comunicação [TIC] no Paraná e no Brasil, cria um ambiente de negócios e geração e networking, além de trazer conhecimento”, resumiu o consultor do Sebrae/PR, Fabrício Bianchi.

Segundo ele, a grande importância desse evento é a contribuição que traz para a consolidação de uma realidade que Londrina apresenta hoje. “Há uma grande diferença entre desejar e ter uma realidade. Londrina tem, não é só um desejo ser referência.”

Essa realidade, explica Bianchi, tem como base 17 faculdades e nove centros que formam profissionais nessa área, o primeiro ISS Tecnológico do Brasil, o primeiro APL de TI do Paraná e várias empresas com certificações nacionais e internacionais de alto nível. “Em 2013, das 38 certificações de empresas de TIC válidas no Paraná, 19 eram da região de Londrina.”

Identidade local

Para o presidente do APL de TI, Gabriel Henriquez, falta a Londrina e região fazer com que seu potencial como polo tecnológico seja reconhecido pela própria cidade e também fora dela. “Depois que o processo do café passou, Londrina não conseguiu mais se identificar com algo. Hoje, a tecnologia da informação é um elemento muito forte e que impacta todos os outros setores: saúde, agricultura, comércio etc.”

Londrina tem 1º Instituto de TI do País

O Senai Nacional já reconheceu o potencial londrinense e investiu na criação do Instituto Senai de Tecnologia (IST), cuja sede está sendo construída no Município. Londrina foi a única cidade do Brasil escolhida para receber esse instituto. “Mesmo antes da conclusão da obra, boa parte dos serviços já é oferecida na sede atual do Senai, com consultoria às empresas, certificações, qualificação de mão de obra e incubação de projetos”, explicou o gerente regional do Senai, Almir Gaspar Schenfeld.