27/03/2019 11:41:33 Empreender, um programa que é a essência do associativismo

Por Marcos Roman - Revista Mercado em Foco - ACIL

 

Trazer a Londrina em primeira mão as principais novidades em design de móveis e iluminações que serão lançadas na Feira de Milão 2019, considerada a maior referência mundial do setor.

A proposta, apresentada por um grupo de sete arquitetas londrinenses que integram o IARQ (Núcleo de Negócios em Arquitetura), da ACIL, foi vencedora do Prêmio Empreender Competitivo 2017.

A premiação foi concedida pela CACB (Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil) e cobrirá parte dos custos da viagem à Itália, além de todo o suporte técnico e logístico para que as londrinenses consigam cumprir sua meta. No Paraná, a CACB é representada pela FACIAP (Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná), em parceria com a ACIL e o SEBRAE.

“Nossa meta é apresentar ao público local as maiores tendências de arquitetura, fazendo com que Londrina tenha acesso ao que há de mais moderno no setor ao mesmo tempo em que essas novidades estarão chegando nas cidades mais importantes do mundo”, conta a arquiteta Silvana Bonafine.

De acordo com a analista de negócios da ACIL, Valéria Furlan Sitta, o Programa Empreender tem como pilares aprimorar a gestão organizacional, o desempenho pessoal e profissional e apoiar ações que tragam competividade. “Procuramos despertar entre os integrantes dos núcleos as premissas do associativismo e mostrar que o trabalho conjunto pode render resultados melhores para todos os envolvidos”, ressalta.

De acordo com a arquiteta Silvana Bonafine, houve um crescimento de 50% no volume de negócios administrados por elas graças ao desenvolvimento de ações previstas pelo programa desenvolvido na ACIL. “Melhorou tudo, desde questões ligadas à administração até o relacionamento com os clientes e fornecedores”, ressalta.

Ela destaca que a visita à Feira de Milão, agendada para o mês de abril, deixou todas as participantes do IARQ entusiasmadas, mas que os benefícios proporcionados pelo núcleo já haviam sido mensurados por elas em seus devidos escritórios de arquitetura. “Todo mundo que se forma em arquitetura pensa em montar um escritório. Somente quando começa a enfrentar os diversos desafios impostos pelo mercado, cada vez mais competitivo, é que o novo profissional vai se dar conta de que não aprendeu nada sobre gestão de negócios na faculdade. Através do Programa Empreender a gente aprende a superar esses problemas e buscar soluções que atendam todas as participantes”, diz Silvana.
 

20 anos de empreendedorismo

Em 2019, a ACIL comemora 20 anos de desenvolvimento do Programa Empreender, iniciativa criada na Alemanha com o objetivo de promover o desenvolvimento da micro e pequena empresa. “O programa chegou ao Brasil em 1991 e desde 1999 é realizado na ACIL, um trabalho que começou na gestão do então presidente Valter Orsi”, informa Valéria.

Ela explica que o Empreender visa o desenvolvimento de empresários e empreendedores dos mais variados setores. “São grupos que são chamados de núcleos, formados por empreendedores de um mesmo segmento que se reúnem quinzenalmente com o intuito de discutir problemas que são comuns àquele setor e encontrar soluções que beneficiem a todos os participantes”, destaca a analista de negócios.

Atualmente, a ACIL mantém ativos 17 núcleos. “Em Londrina, temos núcleos dos mais diversos setores. Cada um tem, em média, cerca de 15 participantes. Antes da sua formação, a gente faz um chamamento público convidando todos os empresários daquele setor para participar do grupo, que é aberto com o mínimo de dez integrantes”, esclarece a diretora de Serviços da ACIL e consultora do programa, Sheila Dal Ry Issa.

Sheila cita um exemplo que, segundo ela, resume bem a força do associativismo. “Criamos o núcleo de Food Trucks de Londrina quando não havia nenhum respaldo legal para o exercício desta atividade na cidade. Em reuniões com a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) e várias outras entidades, levantamos questões importantes para os empresários deste setor”, relata. “Após várias discussões, muitas das demandas apontadas por eles, principalmente em relação a locais e horários de atuação, passaram a integrar a legislação municipal que rege o segmento. Seria muito difícil um empresário sozinho conseguir mobilizar todo esse trabalho”.

A diretora da ACIL salienta que a relação com fornecedores também acaba sendo beneficiada com o associativismo entre empresários de um mesmo setor. “Procuramos estreitar o relacionamento com empresas fornecedoras de produtos e serviços que atendem os empresários de um mesmo núcleo. Convidamos algumas delas para participar das reuniões e ao apresentar as reais demandas do setor, muitas vezes conseguimos um preço de compra mais acessível e melhoria no prazo de entrega, além de uma relação mais próxima e eficiente com os vendedores”, enfatiza.
 

Associativismo em pauta

Cada núcleo conta com um consultor designado pela ACIL para acompanhar as atividades desenvolvidas. “No início dos trabalhos, o consultor estabelece um planejamento estratégico e desenha algumas ações que serão trabalhadas com as empresas daquele segmento. Ao final de cada ano é feito um levantamento para mensurar os resultados obtidos no período”, explica a consultora.

Em duas décadas de existência, o Empreender já atendeu mais de 600 empresas londrinenses, conforme estimativa da ACIL. Para participar dos núcleos os integrantes não pagam nenhuma taxa, basta ser associado da entidade.

Sheila salienta que durante as reuniões dos núcleos acaba acontecendo uma mudança na relação comercial e pessoal entre empreendedores de um mesmo segmento. “No início, os participantes ficam apreensivos em relatar aos outros integrantes problemas e soluções vivenciadas no seu próprio negócio. Para evitar isso, criamos um contrato de confidencialidade no qual todos se comprometem a manter sigilo sobre tudo o que ouvirem nas reuniões. Com o passar do tempo, eles deixam de se olhar como concorrentes e passam a se ver como parceiros que acabam se ajudando mutuamente em várias situações”, diz Sheila.
 

Impacto positivo para a cidade

Superintendente da ACIL, Rodrigo Geara destaca os benefícios que o Programa Empreender acaba gerando para toda a cidade. “Trata-se de um programa que visa reunir setores da economia com o propósito de aumentar as potencialidades de empresas de diversos segmentos através deste trabalho organizado, associado, coletivo e planejado. Isso acaba impactando diretamente na economia do município como um todo, trazendo melhorias para a sociedade”, salienta.

Geara acredita que os trabalhos devem ser potencializados no futuro. “É um programa que existe em vários continentes e que faz parte do modelo das associações comerciais. A premissa do associativismo, que é um dos pilares do programa, está diretamente relacionada ao motivo de existir da nossa entidade”, diz.