08/12/2014 00:00:00 Ex-secretário de Kassab vai assumir Fazenda do Paraná

Fonte: Folha de Londrina com Folhapress

Ex-secretário de Finanças de São Paulo na gestão Gilberto Kassab (PSD) entre 2006 e 2012, Mauro Ricardo Costa vai assumir a secretaria de Fazenda do governo do Paraná no segundo mandato do governador Beto Richa (PSDB). 

Costa, que há dois anos ocupava a secretaria da Fazenda de Salvador, anunciou na última quarta-feira que deixa o cargo na gestão do prefeito ACM Neto (DEM). A principal missão do novo secretário no Paraná será debelar a crise financeira do Estado, cujo governo enfrenta problemas de caixa. No fim deste primeiro mandato, Beto Richa anunciou cortes de gastos da ordem de 30%, além de medidas para aumentar a arrecadação. 

Mauro Ricardo Costa é conhecido por seu perfil de austeridade com os gastos e medidas para impulsionar a arrecadação. Em Salvador, assumiu o cargo num cenário financeiro de "terra arrasada", com dívidas que chegavam a R$ 3 bilhões. Em dois anos, fez as receitas do município saltar em de 3,8 bilhões para R$ 5,1 bilhões, num crescimento de 34%. 

POLÊMICAS

A atuação de Mauro Ricardo Costa, contudo, gerou resistências no setor produtivo da capital baiana, sobretudo no imobiliário. O aumento de tributos sobre terrenos foi a principal queixa do segmento. Mesmo num cenário de austeridade, a prefeitura dobrou o valor os jetons pagos aos conselheiros de empresas municipais, conforme revelado pela Folha de S.Paulo em maio deste ano. O reajuste beneficiou Costa, que tinha assento nos conselhos de quatro empresas, acumulando R$ 22 mil mensais em jetons. Com salário de R$ 15 mil, elevou sua renda mensal bruta a R$ 37 mil. 

Declarações polêmicas também marcaram a gestão de Costa. No início deste ano, ele afirmou em tom de brincadeira que lamentava não poder "botar no pelourinho" os contribuintes que devem ao município. 

Mauro Ricardo Costa também foi citado no escândalo do ISS da prefeitura de São Paulo, que eclodiu no final do ano passado. Na ocasião, o auditor Ronilson Bezerra Rodrigues, preso por suposto recebimento de propina, disse em um telefonema que "o secretário" de Finanças e o "governador" tinham ciência do esquema. O ex-prefeito Gilberto Kassab e o ex-secretário Mauro Ricardo Costa repudiaram as declarações.