06/03/2015 00:00:00 Fórum apresenta 17 propostas para industrialização

Fonte: Folha de Londrina

O Fórum Desenvolve Londrina apresentou ontem 17 propostas para o desenvolvimento da indústria na Cidade. A industrialização foi o tema dos estudos realizados no ano passado pela entidade. A cada ano, o Fórum, que é formado por representantes da sociedade civil, elege um tema e se dedica a estudá-lo em reuniões semanais. O diagnóstico realizado e as propostas apresentadas são publicados no início do seguinte. 

De acordo com o estudo, o índice de Participação Industrial no Valor Adicionado Bruto Total, que mede a participação da indústria na produção de riqueza em Londrina, caiu de 22,29% em 2005 para 18,34% em 2011. Ao mesmo tempo, notou-se que a população tem a percepção de que Londrina é uma cidade pouco industrializada, e que a indústria tem grande contribuição para o desenvolvimento econômico da Cidade. 

Entre as propostas apresentadas ontem, está a construção de um parque industrial. "A Prefeitura diz que Londrina terá um parque industrial em breve. Esta infraestrutura é importante porque as indústrias têm dificuldades de encontrar espaço, e uma instalação inadequada leva problemas tanto à indústria quanto à população", explica Paulo Sendin, engenheiro agrônomo, membro do Fórum e responsável pela apresentação dos dados do estudo. 

A necessidade de políticas de incentivo mais adequadas é outra demanda da indústria londrinense, segundo o estudo. "A Prefeitura tem políticas de incentivo, mas são muito frágeis, voltadas à doação de terrenos, o que por si só não leva à atração de indústrias", continua Sendin. 

Para ele, as políticas públicas também precisam ser voltadas a setores industriais de alto valor agregado. De acordo com a pesquisa, os setores que mais geram valor no Estado do Paraná são o sucroalcooleiro e de biocombustíveis, o de utilidades (eletricidade, gás, água), de fabricação de veículos, e de telecomunicações. 

A implantação de uma agência de desenvolvimento que se dedique apenas a este tema, na opinião de Sendin, é outra alternativa que poderia levar ao desenvolvimento da indústria em Londrina. "Aqui temos o Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), mas que é diluída em uma série de atividades." 

Os membros do Fórum Desenvolve Londrina também são unânimes em dizer que, para que a indústria do Município se desenvolva, faz-se necessária a mobilização e a integração de Poder Público com outros órgãos e entidades e com a comunidade. Na visão de Charles Vezozzo, presidente do Fórum Desenvolve Londrina, a Cidade "tem todas as condições para que isto ocorra". Apesar de suas deficiências, para ele, Londrina possui "toda a infraestrutura" necessária para fazer a indústria "decolar". "Também temos um líder, lideranças e comunidade conscientes. Estamos maduros para desenvolver um polo e uma cultura industrial. Estamos caminhando para isso." 

Para o presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Bruno Veronesi, a baixa participação industrial no Valor Adicional Bruto Total se deve à ausência de uma política de industrialização no Município que perdurou por muitos anos, assim como à demora da aprovação do Plano Diretor da Cidade. Ele afirma que, com a aprovação do Plano Diretor, serão garantidas mais áreas destinadas à indústria na Cidade. 

"Esta administração deseja fortemente retomar o crescimento industrial de Londrina", diz o presidente da Codel. Entre outras ações que estão sendo realizadas neste sentido, ele cita a criação do Polo Industrial Londrina (PIL) Noroeste, que está em fase de aquisição de terreno, a facilitação do trâmite de processos relacionados à indústria na prefeitura e a divulgação da cidade para a atração de empresas do setor industrial. "Não é uma política de curto prazo, mas o importante é começar."