04/10/2019 08:35:50 ICEC– ÍNDICE DE CONFIANÇA DO EMPRESÁRIO DO COMÉRCIO | SETEMBRO de 2019

Fonte: Fecomércio

Após cinco meses de queda, o otimismo dos empresários do comércio volta a crescer no Paraná. O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), aferido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e divulgado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), teve elevação de 3,6% neste mês, passando de 116,3 pontos em agosto para 120,5 pontos em setembro.

O índice paranaense cresceu mais do que o nacional, que subiu 1,3% na variação mensal e está em 119,1 pontos. Na análise anual, o Paraná também ficou acima da média do país. O Icec teve variação anual de 18,9% no estado, enquanto a média nacional cresceu 12,3%.

Os empresários do estado melhoraram sua avaliação sobre as Condições Atuais do Empresário do Comércio, sub-indicador que cresceu 8,5% de agosto para setembro e 37,7% na comparação com o ano passado. As Expectativas do Empresário do Comércio subiram 2% na variação mensal, principalmente porque os empreendedores voltaram a acreditar na retomada da economia brasileira. Já a previsão de Investimentos do Empresário do Comércio aumentou 1,9% neste mês. Os empresários pretendem investir na estrutura das empresas e na ampliação de estoques.

Observa-se que a confiança é mais elevada nas empresas de médio e grande porte, em que a Icec chegou a 143,7 pontos neste mês, com variação mensal de 9,2%. Os gestores de estabelecimentos comerciais com mais de 50 empregados fazem uma avaliação mais positiva das condições atuais da economia brasileira (14,6%), do comércio (15,7%) e das empresas comerciais (5,4%). Eles também apresentam melhor projeção com relação à economia brasileira (10,4%) e, consequentemente, para o varejo (10,8%). Quando o assunto é investimento, as empresas de médio e grande porte pretendem aplicar seus recursos na contração de novos funcionários, com elevação de 24,4% neste indicador em relação a agosto, deixando para outro momento os investimentos em instalações e estrutura (-1,6%) e compra de mercadorias (-5,5%).

Já entre as micro e pequenas empresas o Índice de Confiança do Empresário do Comércio é de 120,1 pontos, registrando elevação mensal de 3,5%. Os lojistas que empregam até 50 trabalhadores também apresentaram melhora em sua avaliação sobre as condições atuais da economia, com alta mensal de 11,2%, e com um pouco menos intensidade, sobre as condições atuais do comércio e das empresas comerciais (7,4% e 7%, respectivamente). No entanto, as micro e pequenas empresas ainda não vislumbram grandes melhoras futuras na conjuntura econômica e eventuais reflexos positivos nos negócios. Por isso, por enquanto, não pretendem contratar novos colaboradores (-1%), mas devem investir na estrutura empresarial (5,6%) e na formação de estoques (2,1%).

Na análise por grupo de atividade, as empresas que comercializam bens duráveis tiveram a maior variação mensal, com aumento de 5,5%, enquanto entre os comerciantes de produtos semi-duráveis o Icec cresceu 4,8% de agosto para setembro. Já entre os gestores de empresas que atuam com bens não duráveis, o índice subiu 1,4%.