19/01/2015 00:00:00 Indústria do chocolate contrata 10% mais para Páscoa

Fonte: Folha de Londrina

Apesar da expectativa de que o desaquecimento econômico gere aumento no número de desempregados no primeiro semestre deste ano, a indústria de chocolates elevou em 10% a quantidade de vagas temporárias para a Páscoa em relação ao ano passado. Serão 26,5 mil nesta temporada ante 24 mil na passada, justamente para tentar reverter a possível redução no consumo de ovos e derivados causada pela crise. Por isso, a expectativa é de aumento de 15% de pessoal na área comercial, que trata direto com o público. 

Os números são da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab). O presidente da entidade, Getulio Ursulino Netto, afirma que a perspectiva de um ano difícil na economia fez com que o setor, que engloba 18 fábricas e atende 6 mil lojas e supermercados, incentivasse a contratação na área comercial e promocional. "A produção deve ser estável em relação a 2014. O que precisamos fazer é girar os produtos nos pontos de venda", conta. A Abicab não divulga número de produção. 

Ele diz que a argumentação no contato direto com os clientes pode fazer a diferença, porque são muitas opções de ovos e a escolha é facilitada por promotores de venda. "São muitos tipos de recheios e de cascas e tem gente que compra para a criança, para a vovó, então poder explicar ao público pode fazer a diferença", afirma Getulio. 

São dois períodos de contratação de temporários. O primeiro, para a produção, começou com admissões em setembro do ano passado e vai até fevereiro, com expectativa de 10 mil novos funcionários para o setor. No segundo, comercial, a admissão começou neste mês e vai até abril. "A Páscoa será em abril e vamos produzir até lá. Se houver demanda nos pontos de venda, vamos contratando mais", diz o presidente da Abicab. 

Para os temporários, há sempre a perspectiva de ser contratado de modo definitivo ou, ao menos, ter o contrato prorrogado por mais alguns meses. "Para muitos, esse é o primeiro emprego e observamos o compromisso, a pontualidade, quem é mais esperto, e esses ficam para substituir funcionários que entram em férias", conta Getulio. 

A Barion, cuja fábrica fica em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, contratará 150 temporários ao todo. Controler da empresa, Alexandre Andrade e Silva Barion conta que o número é 50% maior do que o da Páscoa anterior, com a expectativa de dobrar a produção. "Estamos em crescimento desde o segundo semestre de 2014, com mais pedidos do que conseguimos fabricar, então não sentimos a crise", diz. 

As contratações na Barion começaram em 5 de janeiro e vão até um mês antes da Páscoa, que neste ano será em 5 de abril. O executivo da empresa afirma que ainda é possível enviar currículos, porque muitos funcionários não ficam durante todo o período. 

A Lacta, que tem uma fábrica na capital paranaense, contratará 9 mil pessoas em todo o País e a Nestlé, 6 mil. A assessoria de imprensa da Mondelez, responsável pela Lacta, não respondeu até o fechamento desta edição o número de postos de trabalho abertos no Estado, mas interessados podem se cadastrar pelo endereço on-line www.vagas.com.br/mondelez_pascoa.