21/11/2014 00:00:00 Indústria tem leve melhora em outubro

Fonte: Folha de Londrina

Outubro foi um mês menos ruim para a indústria nacional e paranaense. É o que mostra a Sondagem Industrial, divulgada ontem pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). A utilização da capacidade instalada da indústria no País cresceu de 72% (em setembro) para 73%. E a do Paraná subiu de 74% para 76%. Mas, quando a comparação é com outubro de 2013, há retração. Naquele mês do ano passado, a utilização da capacidade foi de 75% e a parananense, de 77%. 

No mês passado, em uma escala na qual valores abaixo de 50 pontos representam queda e acima de 50 pontos representam aumento, a produção industrial registrou 50,8 pontos, no Brasil. Em setembro, havia queda, com o indicador em 49,7 pontos. Na comparação com o mesmo período do ano passado, também houve queda. Em outubro de 2013, o indicador estava bem melhor, em 54,5 pontos. A reportagem não conseguiu os números da produção do Paraná. 

"Eu diria que há um impacto sazonal. É uma elevação natural dos últimos meses do ano", avalia o economista da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Roberto Zurcher. Ele ressalta que há retração em relação ao ano passado, que já foi um ano ruim. 

Em relação às perspectivas para 2015, Zurcher diz que os empresários da indústria paranaense estão em compasso de espera. E não vão decidir novos investimentos enquanto não souberem quem será o novo ministro da Fazenda e suas propostas. "Se for alguém da confiança das empresas, os investidores se sentirão estimulados. As coisas ficam mais fáceis", afirma. 

Nelson Poliseli, presidente do Sindicato da Indústria Moveleira de Arapongas (Sima), diz que o segmento está com "pé atrás" em relação ao futuro próximo. "Estamos preocupados principalmente com o primeiro semestre do ano que vem", afirma. Ele conta que outubro foi um mês "um pouquinho" melhor para as indústrias do município. De forma geral, na avaliação de Poliseli, as vendas em 2014 estão iguais às de 2013. "Mas, nossa margem de lucro caiu porque não estamos conseguindo repassar o aumento de custo, principalmente o do combustível", declara. 

Já o presidente do Sindicato do Vestuário (Sivepar), Alexandre Graciano de Oliveira, diz que o segmento retraiu entre 5% e 10% em relação a 2013. E que a melhora em outubro é "natural". "Nós vendemos mais em setembro e outubro, que é quando o comércio faz as encomendas para o fim de ano", explica. 

Emprego


A sondagem da CNI mostra ainda que o emprego na indústria continua caindo no País, com o indicador em 47,1 pontos. Esse recuo, no entanto, é menos intenso que o registrado em setembro, quando o indicador ficou em 46,8 pontos. Em outubro de 2013, o indicador era mais positivo, com 49,9 pontos. 

A utilização da capacidade instalada na indústria está bastante distante do usual para esse período do ano. Em outubro, o indicador que faz essa correlação registrou 42,9 pontos, ante 42,5 pontos de setembro. Em outubro de 2013, estava em 46,7 pontos. 

O indicador de estoques ficou em 50,5 pontos em outubro, ante 50,2 pontos em setembro. Na relação dos estoques efetivos e os planejados pelos empresários, o indicador ficou em 51,0 pontos em outubro, ante 51,3 pontos em setembro. (Com Agência Estado)