08/08/2014 00:00:00 Jovens têm aula de empreendedorismo

Fonte: Folha de Londrina

Uma plateia de 140 estudantes do Ensino Médio integrado com o curso técnico de Administração ouviu atentamente a história do empresário Arnaldo Tsuruda, ontem de manhã, no Instituto de Educação Estadual de Londrina (Ieel). Todos queriam saber do homem que começou vendendo menos de 100 cachorros-quentes por dia em um carrinho na Avenida Juscelino Kubitscheck e que hoje comercializa cerca de quatro mil lanches por dia em dois estabelecimentos, além de empregar 55 pessoas e estar vinculado a outras 30 pessoas que realizam serviços terceirizados. O evento no Ieel foi desenvolvido como um trabalho de grupo dos estudantes. 

Antes da palestra, alguns alunos encenaram uma peça teatral sobre um empresário humilde que começou de baixo e se tornou bem-sucedido. Não por acaso a peça tem tudo a ver com a trajetória de Tsuruda. A escolha do palestrante foi feita em conjunto entre a professora da disciplina, Márcia Cristina da Silva Parazi, e seus alunos. Posteriormente foram os próprios estudantes definiram como seria realizado o evento, o que exigiu um certo planejamento e organização, e tudo foi avaliado pela própria plateia, que recebeu fichas para dar notas. 

Wyllian Soares Roque Lima, de 18 anos, foi um dos estudantes que ajudou na tarefa. Ele se surpreendeu com os relatos de Tsuruda. "Achei interessante quando ele fala da importância da empresa ter uma identidade para despontar no mercado. Ele destacou que começou vendendo cachorro-quente e mesmo que tenha que ampliar o mix de produtos, é o cachorro-quente que sempre será a característica dele. Isso me mostrou que montar o próprio negócio pode ser complicado, mas não é impossível", destacou. 

ATENÇÃO
Tsuruda cativou os estudantes com a sua fala mansa e calma. Entre as histórias que contou, destacou que o cachorro-quente com frango desfiado não existia na cidade até Tsuruda implantar a novidade, para se diferenciar dos concorrentes. Um jovem questionou sobre como se diferenciar agora, que os concorrentes passaram a oferecer sanduíches parecidos com os que ele faz. Tsuruda respondeu que o segredo do sucesso não é focar no que está dando certo, mas naquilo que os clientes sentem falta ou no que a empresa está falhando. "Temos sempre que pensar no futuro", destacou. 

O empresário afirmou que sempre que é convidado para realizar palestras, costuma aceitar. "Vejo como uma grande oportunidade para mostrar como eu trabalho", ressaltando também que há uma troca entre ele e os estudantes. "Às vezes uma pergunta que eles fazem pode me trazer uma resposta", expôs. 

Um dos questionamentos foi feito por Patrícia Machado, de 18 anos, que quis saber como é trabalhar em família, já que eventualmente é difícil separar o profissional do pessoal. Tsuruda respondeu que todas as vezes que há um problema, convoca uma reunião entre os envolvidos até chegar a uma solução. 

Ele destacou a importância da família, fato que determinou no fechamento da lanchonete aos domingos. "O domingo era o dia de vendas mais forte, mas minha esposa achou que isso sacrificava demais os colaboradores e a gente também. Ao fechar aos domingos, percebemos que nossos colaboradores ficaram mais motivados para trabalhar no sábado, porque sabem que no domingo poderão ir a um almoço com a família e sair com a namorada", exemplificou.