31/07/2014 00:00:00 Lixo Zero receberá R$ 4,5 milhões da Fomento Paraná

Fonte: JL

Londrina vai receber da Fomento Paraná o repasse de R$ 4,5 milhões para a implementação do Programa Lixo Zero. A verba será depositada nos cofres públicos no início do ano que vem e é proveniente de um programa de uma instituição francesa que dispõe de R$ 128 milhões para investimentos em projetos ambientais em todo o Paraná. Além do Programa Lixo Zero, oito propostas foram 100% aprovados no Estado. “Trata-se de fundo perdido, o que significa que não vamos precisar devolver esse dinheiro”, afirma o presidente da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), Carlos Alberto Geirinhas.

O Lixo Zero prevê a implementação de um conjunto de processos e tecnologias voltadas à educação ambiental e à gestão de resíduos com o objetivo de zerar a disposição de qualquer tipo de lixo em aterro sanitário e, por consequência, obter o aproveitamento de 100% dos materiais presentes nos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU). “Senão na totalidade, vamos reduzir consideravelmente o lixo que será processado antes de ir para a vala de descarga”, diz Geirinhas.

O professor do programa de pós-graduação em Engenharia e Saneamento da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Fernando Fernandes, diz acreditar que o Lixo Zero é muito bom, mas que não é possível esperar que a ação promova mudanças rápidas. Segundo ele, o problema do lixo é cultural no Brasil e a transformação passa por uma reeducação da sociedade. “O Lixo Zero é um avanço considerável, obedece à legislação dos planos de resíduos sólidos e prevê metas. É muito importante”, avalia.

As vantagens do programa, na opinião de Fernandes, são a operação de coleta conteinerizada, as melhorias na eficiência da coleta seletiva, a utilização da matéria orgânica em compostagem, além de campanhas para conscientizar e ensinar a população a separar o lixo corretamente.

Hoje o Lixo Zero deve ser apresentado oficialmente ao prefeito Alexandre Kireeff (PSD). O projeto está pronto desde o ano passado e já foi registado pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP), mas ainda não tem data definida para ser executado.

Infraestrutura

O Lixo Zero prevê a instalação de dez Pontos de Entrega Voluntária (PVEs) e do aproveitamento de uma usina de compostagem adquirida na gestão do prefeito Luiz Eduardo Cheida (PMDE), há cerca de 20 anos, e nunca utilizada. A usina está em um depósito em Cornélio Procópio e deverá ser instalada em Londrina na Central de Tratamento de Resíduos (CTR).

Para Geirinhas, a tecnologia da usina de compostagem não está ultrapassada, mas que, para ser aproveitada, precisará de uma atualização em termos elétricos e eletrônicos para atender às exigências de segurança do Município. “O custo da atualização deve ficar em torno de R$ 500 mil. Para instalar a usina na CTR o valor também será alto.”

De acordo com Fernandes, a usina de compostagem pode ser bem aproveitada pelo Lixo Zero. “A esteira da usina poderia melhorar o rendimento na separação dos materiais recicláveis.”