17/04/2015 00:00:00 Londrina define rumos para industrialização

Fonte: Assessoria ACIL

Poder público, empresas e instituições de Londrina têm uma opinião só: é preciso mudar a matriz econômica do município. Esse foi o tema central do Seminário Industrializa Londrina, realizado nesta sexta-feira (17) na ACIL. Cerca de 40 lideranças da comunidade – inclusive o prefeito de Londrina, Alexandre Lopes Kireeff; o presidente da ACIL, Valter Luiz Orsi; e o presidente da Codel, Bruno Veronesi – definiram estratégias para atrair investimentos no setor e fortalecer as indústrias já existentes na cidade.


Durante o encontro, a Agência Paraná de Desenvolvimento apresentou um diagnóstico sobre as principais dificuldades e vantagens de Londrina para atração de investimentos industriais. “Hoje a economia de Londrina está muito concentrada no setor de serviços e comércio”, afirmou o gerente de projetos da APD, Jean Alberini. “Se a cidade tivesse uma presença industrial mais forte, isso teria resultados positivos na geração de renda, na arrecadação de impostos e na inclusive na dinamização dos outros setores.”

O prefeito Alexandre Kireeff destacou que nos últimos dez anos caiu de 25% para 18% a participação da indústria na economia de Londrina. “Nosso dever é recuperar essa participação e tornar nossas contas mais sólidas, para que possamos oferecer serviços públicos em maior quantidade e qualidade para a população.” O secretário municipal de Planejamento, Daniel Pelisson, ressaltou que o fortalecimento da base industrial aumenta a arrecadação de ICMS. “Não podemos continuar dependendo de IPTU, ISS e ITBI para manter a administração municipal”, disse.

Para o presidente da ACIL, Valter Luiz Orsi, o Seminário Industrializa Londrina representa um passo importante na mudança da matriz econômica de Londrina. “Somado ao trabalho de outras instituições, como o Fórum Desenvolve Londrina e a própria administração municipal,  estamos criando a estratégia para industrializar a cidade.” Um dos principais instrumentos para promover essa mudança é criar uma Agência de Desenvolvimento local, em forma de PPP (parceria público-privada). “Seria uma estrutura enxuta, controlada pela sociedade civil, para facilitar o caminho dos investidores em Londrina”, explica Orsi.

Os participantes do seminário discutiram e formularam propostas relacionadas a cinco temas centrais levantados pela ACIL, APD, Codel, Secretaria Municipal de Planejamento. São cinco desafios para Londrina:

1. Transformar a matriz produtiva do município;
2. Melhorar o ambiente de negócios;
3. Criar uma estrutura de atendimento a investidores;
4. Melhorar a disponibilidade e a qualidade da mão de obra;
5. Dinamizar o acesso logístico de entrada e saída de mercadorias no município.

As propostas apresentadas durante os workshops na ACIL serão agora transformadas, pela equipe técnica da Agência Paraná de Desenvolvimento, em cinco projetos que vão nortear os próximos passos de um Plano de Atração Municipal de Investimentos (PMAI).