20/05/2016 00:00:00 Londrina ganha o primeiro ‘crowdworking’ do PR

Fonte: Folha de Londrina

A Universidade Estadual de Londrina (UEL), o Sebrae/PR e a Teleónica Open Future assinaram nesta semana um convênio para a implementação de um programa de aceleração para startups. Trata-se do crowdworking Brasil, um programa global que agrega as iniciativas do Grupo Telefónica (controlador da Vivo), relacionadas ao empreendedorismo e à inovação aberta, que conta com a parceria do Sebrae/PR e da Incubadora Internacional de Empresas de Base Tecnológica da UEL (Intuel). O programa foi idealizado pela Telefónica Open Future. Esse é o segundo crowdworking lançado pela companhia espanhola no Brasil. O primeiro está localizado em Minas Gerais. 

A ideia, segundo Renato Valente, Country Manager do Open Future e diretor da Wayra Brasil, é ajudar a impulsionar o talento local e incentivar jovens com vocação empreendedora a colocar em prática suas iniciativas, fornecendo infraestrutura de espaço, suporte técnico e mentoria para que, caso o projeto avance, possa continuar a ser apoiado pela Wayra, a aceleradora de startups da Telefónica, onde poderá receber financiamento. "Vamos utilizar uma metodologia de desenvolvimento de negócios moderna e já testada, além de ajudar a ampliar os contatos dos empreendedores com um ecossistema mundial de inovação", afirma Renato Valente. 

Para o diretor de Operações do Sebrae/PR, Julio César Agostini, é uma grande alegria celebrar a assinatura desse convênio, que busca dinamizar o ecossistema de tecnologia de informação (TI) no norte do Paraná. "Estamos fazendo uma aliança estratégica. O crowdworking instalado em Londrina será uma porta de entrada para levar essa experiência para as demais 22 incubadoras que são parcerias do Sebrae/PR no Estado", diz Agostini. 

Formação de talentos
A intenção do Sebrae/PR, de acordo com o diretor de operações, é transformar as empresas participantes, que tenham um desenvolvimento escalável, em líderes no seu segmento. "O espaço irá contribuir com a formação de jovens talentos e transformá-los em empreendedores. O crowdworking promove um networking internacional, além de oferecer mentorias de alta qualidade, as quais os jovens dificilmente teriam acesso. Parabéns a Londrina por esse momento", afirma. 

Pedro Rivieri, diretor da Telefónica, destaca que o espaço de aceleração também irá colocar as startups em contato com os clientes da Telefónica no mundo todo. "O lançamento do crowdworking em Londrina é motivo de grande honra para a Telefónica. Tive a felicidade de participar da implementação do espaço desde o início do projeto, quando nos reunimos com o Sebrae/PR para apresentar a ideia. Para nós, as empresas de tecnologia de informação e comunicação (TICS) são o futuro, porque crescem de forma transversal e têm muitas oportunidades. Desde a revolução industrial, nada mais aconteceu como a revolução tecnológica que estamos presenciando neste momento." 

A reitora da UEL, Berenice Quinzani Jordão, relata que, para a UEL, é uma grande satisfação participar dessa parceria, por meio da Agência de Inovação Tecnológica da UEL (Aintec), que abriga a Intuel. "Desde o início, nosso propósito era ser uma incubadora internacional. Certamente, a UEL só tem a ganhar e se transforma num ambiente com maiores possibilidades de empreendedorismo e inovação. Um dos papeis da universidade é capacitar pessoas, uma visão que vai além da sala de aula e da formação técnica. Desejo que nossa parceria seja longa, exemplar e de muito sucesso", destaca. 

O diretor da Aintec, Edson Miura, declara que é com grande orgulho que a UEL recebe o segundo crowdworking do Brasil. "O projeto atua em rede de inovação, para pré-aceleração das startups, por meio da Waira Brasil, para promover o empreendedorismo e a inovação. É um incentivo à vocação empreendedora", salienta.