18/01/2022 08:50:08 Londrina tem o maior acumulado em vendas do PR em 2021

Fonte: Fecomércio

Dados parciais da Pesquisa Conjuntural da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR) mostram que 2021 foi o ano de retomada do varejo paranaense. No acumulado até outubro, o comércio paranaense obteve crescimento de 9,89%, com alta em praticamente todos os setores. Os ramos com vendas mais intensas foram óticas, cine-foto-som (20,73%), calçados (20,16%), materiais de construção (19,68%), vestuário e tecidos (16,57%) e autopeças (16,12%). Somente as livrarias e papelarias ainda não conseguiram retomar o fluxo positivo de vendas e acumulam redução de 2,46%.

Londrina é a região do estado com maior acumulado de vendas em 2021. O comércio londrinense soma elevação de 21,58% de janeiro a outubro. Os setores locais com melhores resultados foram materiais de construção (36,33%), óticas, cine-foto-som (32,25%), calçados (28,11%) e concessionárias de veículos (22,34%). Os únicos setores com queda nas vendas foram livrarias e papelarias (-23,58%) e supermercados (-1,10%).

Após dois meses de queda, em outubro o comércio paranaense cresceu 0,45% na comparação com setembro. Já em relação a outubro de 2020, o mês de 2021 teve vendas 7,21% menores. Tais reduções nas vendas estão relacionadas ao contexto econômico brasileiro, com aumento contínuo da inflação, o que tem elevado os preços ao consumidor. Diante dos custos adicionais em itens de primeira necessidade, tais como alimentos, gás de cozinha, energia elétrica e combustível, muitas famílias estão tendo que conter gastos não essenciais. Apesar do contexto macroeconômico pouco favorável, os dados parciais de 2021 indicam a retomada do varejo paranaense, especialmente considerando o impulso trazido pelas vendas de fim de ano.

Análise regional

Outra região com bom desempenho no acumulado até outubro foi Maringá, com crescimento de 8,41%, puxado pelas concessionárias de veículos (36,92%), combustíveis (29,01%) e materiais de construção (11,73%).

Curitiba e Região Metropolitana também tiveram resultados promissores, com aumento de 8,21% no volume de vendas no período de janeiro a outubro, com destaque para as lojas de vestuário e tecidos (27,77%) e móveis, decorações e utilidades domésticas (17,01%).

A região Sudoeste obteve elevação de 7,11% de janeiro a outubro, com destaque para combustíveis (19,83%) e materiais de construção (18,15%).

Na região Oeste o varejo acumula crescimento de 4,89%, estimulado pelas óticas, cine-foto-som (18,84%), autopeças (16,76%) e combustíveis (16,53%).

O comércio de Ponta Grossa apresentou alta de 4,69%, sobretudo nos ramos de concessionárias de veículos (31,52%) e autopeças (26,94%).