24/07/2014 00:00:00 Londrinenses se unem para combater as feiras sem-lei

Fonte: Assessoria ACIL

Autoridades públicas e lideranças empresariais estiveram reunidas hoje pela manhã na Câmara de Londrina para discutir as chamadas “feiras itinerantes”. No último final de semana, mesmo sem autorização judicial, a Feirinha do Brás, promovida por comerciantes chineses e bengaleses, instalou-se em terreno próximo ao Conjunto Saltinho, na zona sul de Londrina. As barracas da feira comercializaram produtos eletrônicos e importados e atentaram contra o Código de Posturas do Município. A reunião foi marcada a pedido da ACIL e dos vereadores Roberto Fu (PDT) e Júnior Santos Rosa (PSC).

As feiras itinerantes representam uma concorrência desleal para os comerciantes regularmente estabelecidos na cidade. Em geral, não pagam impostos; não oferecem qualquer tipo de garantia aos trabalhadores; têm precárias condições sanitárias e de segurança. A cada feira itinerante que se realiza, os comerciantes locais, principalmente os de pequeno porte, sofrem elevados prejuízos.

O presidente da ACIL, Valter Luiz Orsi, afirmou que a realização da feira itinerante no último final de semana representa um atitude de desrespeito com a cidade inteira. “Feiras de artesanato, inovação tecnológica e beneficentes são bem-vindas, mas esse tipo de evento é predatório e nós não aceitaremos”, comentou Orsi.

No dia 17 de julho, o juiz Marcos José Vieira, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Londrina, negou pedido de liminar impetrado pelos realizadores da Feirinha do Brás. Mesmo assim, o evento foi realizado. “Todas as autorizações necessárias foram negadas a esses senhores, e mesmo assim eles tiveram a ousadia de promover a feira”, afirmou Orsi. O advogado Ed Nogueira de Azevedo, da ACIL e do Sincoval, esteve no local e fez diversas fotografias dos produtos comercializados: na maior parte, eletrônicos com procedência duvidosa. Para piorar, os realizadores da feira deixaram um rastro de sujeira no local. “Mas estamos de cabeça erguida graças à decisão do juiz, que negou autorização para o evento”, disse o advogado.

Segundo o vereador Roberto Fu, a reunião desta manhã foi importante porque unificou as ações de diversos órgãos públicos e entidades: ACIL, Sincoval, Secretaria Municipal da Fazenda, Guarda Municipal, Polícia Militar, Receita Federal, Receita Estadual, Copel, Sanepar e Vigilância Sanitária. “Agora vamos agir em sincronia assim que outra dessas feiras tentar se instalar em Londrina”, afirmou Valter Orsi. “Não podemos deixar que as ilegalidades ganhem força, porque isso desestabiliza a cidade.”

A ACIL está à disposição para registrar denúncias sobre a realização das feiras ilegais em Londrina. Mais informações pelo fone 3374-3013.

Assista a seguir à entrevista de Valter Orsi à RPC TV:

http://g1.globo.com/pr/parana/paranatv-1edicao/videos/t/londrina/v/acil-e-prefeitura-prometem-mais-rigor-para-evitar-feiras-itinerantes-em-londrina/3518666/