06/04/2015 00:00:00 7 medidas para tomar antes de buscar crédito para a empresa

Fonte: Diário do Comércio

Ouvir a palavra “sim” do gerente do banco ou do analista de crédito da financeira ou da factoring é um desafio na rotina do pequeno empresário que precisa tomar recursos de terceiros.

Sobretudo neste ano de aperto nos juros por causa da inflação alta e, ao mesmo tempo, de um quadro recessivo na economia, o que reduz a previsão de lucro das empresas. 

Isso tudo leva ao pessimismo, o que faz com que os bancos fiquem mais restritivos, ou seja, tenham cuidado redobrado na hora de liberar o crédito para o pequeno empresário. 

Até mesmo o crédito subsidiado pelo governo disponibilizado por bancos públicos corre o risco de mudar de perfil porque o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, já sinalizou que deve diminuir as despesas com os financiamentos a juros negativos. 

Assim, os empresários vão precisar parar para organizar a “própria casa” antes de pedir crédito. É importante lembrar que essa preparação leva tempo, assim como a resposta do agente financeiro. 

“Lembre-se que quanto mais rápido o dinheiro é liberado, maior pode ser o seu custo. Por isso é preciso planejar o crédito”, afirma Eduardo Shakir Carone, sócio-diretor e fundador da Nexto Investimentos.  

Com as instituições financeiras mais receosas com o risco das empresas quebrarem, o empreendedor precisará ter de pronto as informações que ajudem a diminuir os seus riscos de inadimplência. Principalmente se for um pequeno empresário.

As informações das empresas são avaliadas por uma ferramenta de análise de risco de crédito, o credit score, que é comercializado pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) e por outras empresas do setor.

A avaliação ajuda o banco determinar a taxa de juros, a exigência de garantias e avais, os prazos e o limite do valor a emprestar. 

Em uma factoring o cuidado não é diferente. João Costa Pereira, presidente da Brasil Factors, diz que esse tipo de negócio é diferente do simples financiamento porque toma o risco de crédito dos clientes da empresa para quem libera recursos.

“Por isso fazemos uma avaliação detalhada dele. É melhor que seja transparente, tenha balanços auditados e demonstrações financeiras atualizadas”, diz. 

Para que uma empresa seja melhor avaliada, é preciso que o empresário se cerque de uma série de cuidados antes mesmo de buscar o financiamento. Especialistas listaram as sete atitudes que podem ajudar o empreendedor nessa jornada.  Confira aqui.