31/07/2019 09:15:28 Mexa-se!

Da Redação - Revista Mercado em Foco - ACIL

 

Vivemos na era digital. O avanço tecnológico tem proporcionado às pessoas grande conforto, dessa forma, atividades simples como ir até a padaria foram deixadas de lado. Com essa facilidade, cada vez menos pessoas praticam exercícios físicos, o que gera um crescimento alarmante da população que está acima do peso. Hoje 53% dos brasileiros estão nesse grupo, segundo o Ministério da Saúde.

Essa falta de movimentação do corpo unida a uma alimentação não saudável com fast foods, pizzas e alimentos recheados de gorduras, sódio e substâncias químicas, causam ainda mais malefícios como problemas cardíacos, diabetes e pressão alta que são agravados pelo sobrepeso.

Entretanto, o número de adeptos ao estilo de vida saudável tem aumentado a cada dia. De acordo com uma pesquisa realizada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), 80% dos brasileiros se preocupam com a alimentação e buscam consumir produtos mais frescos, orgânicos e ricos nutricionalmente. Essa mudança de hábito pode garantir que as pessoas saiam do sedentarismo.

O médico cardiologista Ederlon Nogueira afirma que uma pessoa pode ser considerada sedentária quando as únicas atividades que ela pratica são referentes a sua rotina diária. “A Organização Mundial da Saúde (OMS) define que uma pessoa sedentária, entre 18 e 60 anos, é aquela que tem uma prática de atividade física inferior a 150 minutos por semana e seu gasto calórico é relativo a atividades básicas como dormir, ficar em pé ou atender ao telefone.”

Para Nogueira, esse quadro de sedentarismo pode ser resolvido sem dificuldades, mas o primeiro passo é ver que é necessário tomar atitudes, buscar medidas e pôr em prática as atividades físicas. “O raciocínio para sair de uma vida sedentária é bem simples. É preciso aumentar o consumo de energia. Para que isso aconteça, substituir determinadas atitudes por outras é fundamental como subir as escadas e não ir de elevador, não permanecer muito tempo sentado em frente à TV ou de computadores, levantar mais vezes no trabalho, deixar o carro um pouco de lado para tarefas rápidas como ir a farmácia, padaria, lojas e bancos próximos, passear com o cachorro, no transporte público descer algumas quadras antes para ir caminhando. Todas essas mudanças de hábitos fazem uma grande diferença.”

 

Devagar e sempre

Mas apesar da simplicidade, não é de um dia para o outro que começamos a adquirir novos hábitos. Assim como em todas as áreas de nossas vidas, tornar uma tarefa nova um hábito comum no dia a dia é algo que deve ser feito a longo prazo e gradativamente. Então nem pense em fazer atividades pesadas e de longa duração já nos primeiros dias, isso pode prejudicar seus músculos, nervos e tendões que não estão acostumados.

Nogueira afirma que além do cuidado e paciência necessários para inserir essas mudanças na rotina, é preciso fazer uma avaliação do quadro de saúde. “Com essa avaliação é possível saber se há uma condição ou doença que pode piorar com a atividade física e causar um evento cardiovascular súbito.”

Feita a avaliação, fica mais claro qual é o exercício ideal para se seguir, de acordo com condição e aptidão física, idade e disponibilidade de tempo. Dessa maneira, qualquer atividade física saudável realizada de forma correta e de acordo com as recomendações médicas é sempre bem-vinda.

Uma das recomendações que nos cercam sobre ter uma vida saudável é caminhar 10 mil passos por dia. Quando uma pessoa atinge essa meta o gasto calórico que ela tem é o suficiente para que saia do sedentarismo. Entretanto, não é uma regra caminhar 10 mil passos todos os dias, é possível substituí-los por outras atividades que consumam a mesma quantidade de energia. Nogueira aponta que “a relação com esse número mágico serve para ilustrar o quanto de energia precisamos consumir em um dia, não que seja vital caminhar 10 mil passos”.

Mas essa prática traz reais benefícios para a saúde, garante o médico. “O gasto calórico envolvido com essa caminhada ou com qualquer outra atividade equivalente garante a perda de peso, a transformação da massa gorda em massa magra, diminui o acúmulo de gordura nos vasos sanguíneos, nos idosos melhora o equilíbrio e postura, diminui substâncias oxidantes presentes no organismo e assegura uma sobrevida livre de eventos cardiovasculares, de doenças como obesidade, diabetes.”

Atingir essa meta de passos ou uma meta em qualquer outro exercício pode parecer algo impossível para muitas pessoas que têm dificuldades em praticar atividades sozinhas, mas isso não pode se tornar um obstáculo entre você e uma vida saudável. Com o crescente número de pessoas aderindo à vida fitness, surgiram grupos que praticam atividades juntas, se incentivam e compartilham conquistas.

Com as mudanças nos hábitos alimentares e na rotina, a interferência na vida profissional será inevitável. Quando se pratica uma atividade física, ganha condicionamento físico e esse condicionamento diminui o cansaço e a fadiga precoce, eleva o rendimento tanto físico quanto intelectual. Essa prática regular de exercícios melhora a qualidade do sono e essa questão nos leva a ter uma disposição, concentração e produtividade muito maior. Nogueira ainda complementa que “com as atividades se tem a produção de uma série de substâncias endógenas como serotonina e dopamina relacionadas ao humor e essa alteração resulta em pessoas mais bem-humoradas”.

Os exercícios também têm grande influência sobre a imunidade do corpo, com a produção de proteínas que melhoram a defesa do organismo, reduzindo a taxa de doenças e infecções. Em locais de trabalho onde é necessário realizar movimentos repetitivos ou passar horas sentado, as atividades físicas diminuem drasticamente as dores crônicas, especialmente as lombares.

Mas e quem tem uma rotina diária corrida? Como fazer para usufruir de todos esses benefícios que os exercícios físicos trazem para nosso corpo e mente? “É essencial buscar o equilíbrio entre todas as coisas. Mudar o estilo de vida, ter uma alimentação e práticas de atividades físicas saudáveis. Só a pessoa conhece seus horários e qual o melhor momento, qual a disponibilidade existente para realizar essas mudanças. É uma questão de sempre buscar o equilíbrio”, ressalta Ederlon Nogueira.

O cardiologista completa que “os empresários também têm um papel fundamental nessa melhora da qualidade de vida do funcionário. É importante criar um ambiente de trabalho mais humanizado e inserir intervalos com alongamentos, exercícios leves e meditação na rotina da empresa”.