09/04/2020 15:36:53 Negócios demandam um plano de ação simples e rápido

Fonte: Assessoria ACIL

A pandemia do novo coronavírus (COVID-19) chegou e em pouco tempo colocou muitos negócios à prova. De portas fechadas, devido à necessidade de isolamento social para conter o vírus e evitar sua proliferação, muitas empresas estão vivendo em meio a incertezas.

Para o diretor Micro e Pequeno Empresário da ACIL, Hélio Terzoni, o momento pede uma mudança rápida de cultura. É preciso se adaptar, inovar e se manter ativo para sobreviver durante e após essa crise.

Terzoni bem relembra e pontua que empreendedores são responsáveis por gerar 70% dos empregos no país. “Em um momento como este, precisamos encarar a responsabilidade de definir uma nova era, um novo momento, e de forma realista, precisa e corajosa, melhorar nossas vidas, gerar renda e crescimento”, afirma.

Ele acredita que o momento apresenta sim muitos desafios, mas oferece também oportunidades, e com o objetivo de ajudar empresários na adaptação e transformação de seus negócios em tempos de COVID-19, o diretor elaborou um material bastante prático. “Precisamos aproveitar o momento que desaceleramos para planejar, agir de forma diferente e redesenhar os nossos negócios. É hora de usar a veia empreendedora. A mesma energia, garra, ação e estudo de onde começamos.”

1 - Sua primeira orientação é que empresas comecem a se reestruturar com base em um plano de ação, que seja rápido, simples e possível de ser alterado constantemente, porque se trata de um cenário incerto. Ele afirma que em tempos como esse, é necessário que o empresário pense um dia de cada vez.

2 - O primeiro passo na realização deste plano é dividir a empresa em quatro perspectivas, sendo elas financeiro, mercado, processos e pessoas, e contar com duas visões para cada uma dessas frentes. A primeira é a visão de Recuperação, voltada para reestruturar, ajustar e reorganizar o que já existe. A segunda visão é sobre a Ação, ideias, atitudes e mudanças necessárias para alavancar o seu negócio.

3 - Na área financeira, comece com um levantamento das despesas baseadas nos próximos três meses. É importante que cada uma seja classificada por tipo e prioridade de pagamento, e se você já tiver ideia de quais podem ser negociadas, acrescente esta informação.

4 - No campo da ação, se atente às linhas de crédito com juros subsidiados ou reduzidos, que ajudarão a recompor o caixa. Além disso, é bom ficar de olho nos benefícios que o governo disponibilizou aos empresários, como a isenção de impostos por 90 dias, por exemplo.

5 - Outro ponto importante é fazer uma lista de contas a receber que sua empresa tem e acompanha-la diariamente. Lembre-se! Todos estão sendo impactados pela crise, por isso, converse com seus clientes e garanta uma ação conjunta. Isso pode fortalecer os laços e ajudar em negociações futuras.

6 - Na área de Mercado, Terzoni afirma que um passo essencial é fazer uma lista de todos seus clientes ativos e manter contato com todos eles. Assim, será possível entender suas necessidades e posicionar o seu negócio.

“Faça uma lista de recebíveis pessimista e subtraia suas despesas. Feito isso, você terá o seu fluxo de caixa previsto, sua necessidade de apoio financeiro e dessa forma, contará com uma previsão segura das ações que necessita tomar”, orienta.

7 - Ainda dentro da perspectiva de recuperação, monte uma lista de possíveis inadimplentes e converse com cada um deles. Demonstre apoio e transparência nas informações. “Na hora de agir, junte todos os seus vendedores, faça uma lista de clientes, defina um plano de contato e comece agora, com o mesmo carinho e atenção que te trouxe até aqui”, aconselha o diretor.

8 - É importante criar o seu valor para o seu mercado. Segundo ele, é momento de desenvolver campanhas comerciais com foco em geração de caixa no curto prazo, já que todos precisam de boas oportunidades.

Ainda nesta área, o diretor recomenda que se estude um novo modelo de formação do preço de vendas e saia do simples mark-up. “Trabalhe com preços diferenciados e tenha um lucro estimado, por mercadoria ou segmento. O detalhe é a diferença entre lucro ou prejuízo.”

9 - “Hora dos Processos! Essa é área que você tem controle da situação. Sua empresa é a sua casa.” O que fazer primeiro? Revise cada despesa juntamente com a sua equipe, descubra e corte as desnecessárias para este momento.

10 - O próximo passo é fazer um levantamento detalhado do seu estoque. Como o momento pede entradas no caixa em curto prazo, queimar o estoque é crucial. Além disso, compre somente o necessário para as necessidades da semana ou mês.

Hélio Terzoni lembra que todos estão passando pelos mesmos desafios. Fornecedores também estão precisando vender. Nessa situação, é bom preparar um plano com as necessidades, criar uma negociação ganha/ganha e acordar preço e, principalmente, prazo para criar fôlego.

Um plano que contenha todas as normas de saúde, com o objetivo de conter a disseminação do COVID-19 é também um processo importantíssimo e deve ser elaborado nesta área. Este passo é totalmente relevante!

11 - No planejamento com as Pessoas, Hélio orienta que seja criado um comitê de crise. Esse grupo deve ser formado por pessoas da sua empresa, consultores, mentores e empresários da sua confiança. “A finalidade é a tomada de decisão de forma ágil e alinhada e é importante que haja um profissional para apoiar e comunicar as mudanças e novidades”, ressalta.

12 - No momento, o home office é realidade na grande maioria das empresas. Neste campo, Terzoni aconselha que seja feita uma sala online com essas pessoas para facilitar a comunicação e a realização de reuniões diárias. Nesta etapa, é importante estabelecer métricas de revisão, com poucos e essenciais indicadores.

De acordo com ele, alguns indicadores não podem ser deixados de lado, tais como fluxo de caixa, vendas diárias, retenção de clientes, compras futuras, reduções de custos e estoque.

Ainda na questão do home office, uma dica é trabalhar por demanda e entrega, e criar indicadores para acompanhar resultados e desempenho. O consultor pontua que disciplina e disponibilidade com os processos urgentes devem ser imprescindíveis.

13 - Canais e aplicativos viraram os nossos grandes aliados, e segundo Terzoni, podem contribuir com o plano de desenvolvimento das empresas, mas no modo online, com o auxílio de podcasts, conferências e cursos voltados para sua área de atuação.

14 - Para finalizar, o diretor da ACIL destaca a consideração de se lembrar que isso é novo para o líder e também para os colaboradores. Neste momento, ainda mais, é preciso liderar pelo exemplo. “Não hesite em transmitir transparência, ouvir a experiência da sua equipe e apoiadores. Adapte-se, mas reme!”