30/07/2015 00:00:00 A nova Sergipe de cada dia

Fonte: Paulo Briguet / Revista Mercado em Foco

A palavra coração vem do latim cor, que significa centro. Pode-se então dizer que a Rua Sergipe está no coração de Londrina. Em dois sentidos: por estar na área central e por ser uma rua querida para os londrinenses. Parte da história da cidade começa por ali. Quantos não puseram os pés na cidade pela primeira vez na antiga rodoviária, hoje Museu de Arte? Quem de nós nunca frequentou as lojas, fez compras, passeou com a família, tomou uma vitamina ou comeu um pastel na Sergipe? Há dois ditados latinos: Vox populi vox Dei (A voz do povo é a voz de Deus) e Vox temporis, vox Dei (A voz do tempo é a voz de Deus). Ambos demonstram que a Sergipe é uma rua de sucesso. O passear do povo e o passar do tempo a consagraram.

Agora veio a crise econômica. É claro que a nossa Sergipe, assim como todo mundo, foi afetada. Algumas lojas fecharam as portas. Mesmo assim, a Sergipe continua sendo uma das principais vias de varejo da cidade. E conta com uma arma para superar qualquer crise e projetar o comércio local em direção ao futuro: o Projeto Nova Sergipe. Através dessa iniciativa pioneira em Londrina, 15 entidades se uniram aos empresários da rua com objetivo de reinventar a Sergipe, tornando-a mais atrativa, mais bonita, mais próspera, mais segura, mais estruturada, a cada dia melhor.

O Projeto Nova Sergipe foi criado em 2009 e desde então desenvolve uma série de ações para a revitalização de nossa mais tradicional rua de comércio, aumentando a competitividade do varejo local. De lá para cá, a Sergipe vem passando por grandes transformações. Mudaram – para melhor – as calçadas, as vitrines, a capacitação dos lojistas, a limpeza pública, a qualidade de atendimento, a satisfação dos consumidores. Isso só foi possível graças à união entre as diversas entidades envolvidas com o projeto – como ACIL, Fecomércio PR, Prefeitura de Londrina (com diversas secretarias e órgãos públicos), Sebrae, Sesc, Sesi, Sincoval, Rede Massa de Comunicação, Unifil e Unopar. As ações da Nova Sergipe são coordenadas por um Grupo Gestor que se reúne todas as terças-feiras, no período da manhã, na Sala José Monir Nasser/ACIL.

O empresário Ângelo Pamplona da Costa, diretor da ACIL e dono de um restaurante na Rua Sergipe há 26 anos, é um entusiasta do projeto – que também poderia ser chamado de programa, pois veio para ficar. “Nossa luta é para que a Rua Sergipe seja cada vez mais reconhecida e valorizada”, diz Ângelo. Ele observa que a Sergipe oferece hoje uma grande diversidade de opções para o consumidor londrinense. “Aqui tem de tudo um pouco. Na Sergipe você encontra roupas, calçados, presentes, artigos domésticos, produtos eletrônicos, brinquedos. Você pode passear com a família, almoçar, fazer um lanche, tomar um cafezinho, ter acesso à cultura (no Museu de Arte e no Sesc Cadeião). Enfim, é uma rua eclética, com produtos e serviços variados.”

O valor da união

A consultora de varejo Leda Terabe, do Sebrae Londrina, acompanha o Projeto Nova Sergipe desde o início e também se apaixonou pela rua. “O objetivo final do projeto é transformar a Rua Sergipe em um shopping a céu aberto, com todas as vantagens e comodidades oferecidas por um shopping, mais a tradição, a facilidade e a proximidade características do comércio de rua”, afirma. Um dos enfoques principais do trabalho é valorizar a união entre os empresários, enxergando no lojista vizinho não um concorrente, mas um aliado na reinvenção de uma rua cada vez melhor. “A Nova Sergipe prova que unidos somos muito mais fortes. Sozinho fica tudo mais difícil.”

Leda explica que o âmbito do Projeto Nova Sergipe compreende 11 quarteirões da rua, situados entre as avenidas Leste-Oeste e Higienópolis. “Trabalhamos as lojas da porta para fora e da porta para dentro”, define a consultora do Sebrae, lembrando que hoje a Rua Sergipe tem o incrível número de 520 pessoas jurídicas na área comercial, segundo o levantamento mais recente.

Da porta para fora, cuida-se do passeio público, da iluminação, da limpeza, do mobiliário urbano. Os próprios comerciantes custearam a reforma, ampliação e padronização das calçadas. Agora, a Prefeitura incluiu no orçamento a instalação de mobiliário urbano, o que, se tudo correr bem, deve acontecer nos próximos meses. Essa “repaginação” da Sergipe inclui bancos, floreiras, cestos de lixo, pontos de ônibus – tudo padronizado e desenhado pelo Ippul (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina). Detalhe: o benefício será custeado pelo poder público, como contrapartida ao investimento que os lojistas fizeram para revitalizar as calçadas.

Da porta para dentro, o Sebrae investe forte em cursos de capacitação para os comerciantes. O programa de capacitação para 2015 já está sendo finalizado, com 74 horas de cursos e 45 horas de consultoria por empresa participante. E tudo isso por R$ 600, pagos em cinco vezes. “Não se encontra um programa de capacitação desse tipo a um preço tão acessível”, diz Leda Terabe. Os cursos enfocam desde técnica de vendas até gestão financeira, passando por decoração de vitrines e qualidade de atendimento.

Entre as ações realizadas, está a promoção comercial Liquida Sergipe, que aconteceu em março deste ano. “A Liquida fez a Sergipe ‘bombar’!”, afirma Ângelo Pamplona. Houve uma ampla divulgação de mídia, decoração de lojas e uma excelente resposta do público consumidor. “Realizamos uma pesquisa e tivemos relatos de comerciantes vendendo até 40% a mais na primeira semana de março”, afirma o empresário. A meta agora é aumentar a adesão dos empresários à campanha – afinal, todos saem ganhando. Outra ação importante é o Dia da Sergipe, com eventos culturais e sociais oferecidos à população no dia 12 de setembro. “Este ano, vamos fechar três quarteirões para a festa”, informa Ângelo.

A inauguração do Centro Cultural do Sesc, no prédio do antigo Cadeião, em dezembro do ano passado, deu um grande impulso à revitalização da rua. No local há uma ampla programação de mostras artísticas, espetáculos teatrais, concertos musicais, sessões de cinema, palestras... O que no passado foi um símbolo de degradação humana tornou-se um pólo irradiador de cultura e conhecimento. “O Sesc Cadeião foi um presente para a Rua Sergipe e para Londrina”, comenta Ângelo. “Sem dúvida, o Projeto Nova Sergipe deu um grande impulso à transformação do Cadeião pela Fecomércio Paraná.”

Graças ao Projeto Nova Sergipe, a nossa rua querida se transformou em modelo para outras vias comerciais de Londrina e até de outras cidades. Naqueles 11 quarteirões, tradição e modernidade se unem para criar uma referência de sucesso. E que tal você dar uma passadinha na Sergipe hoje?

– Para mais informações sobre o Projeto Nova Sergipe, entrar em contato com a ACIL pelo telefone 3374-3013. As reuniões do Grupo Gestor Nova Sergipe acontecem sempre às terças-feiras, das 9 às 11 horas, na ACIL.