07/08/2014 00:00:00 Paraná tem a segunda pior queda na produção industrial

Fonte: Folha de Londrina

Entre 14 locais pesquisados no País, o Paraná registrou em junho a segunda maior queda (-7,5%) na produção industrial em relação a maio. Em primeiro lugar ficou o Amazonas (-9,3%). Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional, divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pernambuco (-7,4%) e Ceará (-5,4%) também se destacaram negativamente. 

As demais taxas negativas foram verificadas no Nordeste (-4,4%) - exceto os Estados destacados - em Santa Catarina (-4%), no Rio Grande do Sul (-2,3%), no Pará (-2%), em Minas Gerais (-1,7%), na Bahia (-1,1%), e em São Paulo (-1%). Só houve avanço na produção do Rio de Janeiro (5,4%), Espírito Santo (3,5%) e Goiás (0,4%). Na média nacional, a queda é de 1,4%. 

O economista da Federação das Indústrias do Estado Paraná (Fiep), Roberto Zurcher, disse que o resultado do Paraná foi diretamente influenciado pela desaceleração de vendas internas de veículos e pela queda nas exportações de automóveis para a Argentina. De acordo com a pesquisa do IBGE, a produção de veículos caiu 48,2% em junho no Paraná. No semestre, a queda registrada em veículos pelo instituto foi de 15,7%. 

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) informou que o setor foi afetado pela redução das vendas de produtos para a Argentina no começo do ano. O país vizinho compra cerca de três quartos da produção brasileira. Além disso, segundo a Anfavea, o primeiro semestre teve muitos feriados e há queda na confiança do consumidor. Por último, o setor vem sofrendo com aumento de juros e crédito muito seletivo. 

Outro setor que influenciou a queda na produção no Paraná foi o de alimentos com redução de 4,5%. Segundo Zurcher, este segmento também tem forte impacto no índice geral. No semestre, a indústria alimentícia teve queda de produção de 5,2%. 

No entanto, além destes segmentos, o que mais preocupa, na opinião de Zurcher, é a queda na produção de máquinas e equipamentos. Em junho, este setor recuou 25,6% no Paraná. No semestre, a queda é de 9,5% . Ele explicou que a produção de máquinas é um indicador da atividade futura da indústria. Quando há redução neste segmento, não existe previsão de recuperação da produção industrial. 

O economista prevê que o segundo semestre será um pouco melhor para a indústria do Paraná do que os seis primeiros meses do ano. Em 2013, a produção industrial no Estado cresceu 5,64%. "Na produção industrial ainda pode haver um empate com o ano passado", disse. 

Em junho de 2014, na comparação com o mesmo mês do ano passado, a produção industrial do País encolheu em 12 dos 14 locais pesquisados. No Brasil, a produção caiu -6,9%. Os estados com maiores reduções foram Amazonas (-16,1%), Paraná (-14%) e Bahia (-12,1%). No Paraná, este foi o quarto mês seguido de queda e o pior resultado desde dezembro de 2012 (-22,2%). No semestre, a produção do Paraná caiu 4,3% e a do País, 2,6%. (Com agências)