12/12/2014 00:00:00 PIB cresce 19% e Londrina sobe dez posições no ranking

Fonte: JL

Londrina foi o município com o maior crescimento no Produto Interno Bruto em toda a Região Sul do Brasil, em 2012. O Município cresceu 19% naquele ano, saltando dez posições no ranking das 100 cidades com maior PIB em relação a preços correntes e participações percentuais relativa e acumulada, passando de 55º para o 45º lugar. Os dados foram divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A participação de Londrina no PIB do Paraná também cresceu, de 4,5% para 5%. Araucária teve o segundo melhor crescimento (16,72%) e Florianópolis, o terceiro melhor (10,37%) do Sul do País.

O PIB é a soma de toda riqueza (bens e serviços finais produzidos) gerada nos municípios. Em 2012, 57 cidades brasileiras foram responsáveis por cerca de metade de todo o PIB nacional e seis capitais somaram, sozinhas, 25% do PIB produzido no Brasil. Naquele ano, o PIB bruto de Londrina somou R$ 12,826 bilhões contra os R$ 10,773 bilhões do ano anterior. O crescimento foi puxado pelo setor de Serviços e de Administração, Saúde e Educação Pública.

Pelo ranking do IBGE, Joinville e Maringá - as duas cidades similares a Londrina - caíram de um ano para o outro. Joinville passou da 28ª para a 31ª posição e Maringá, de 61º para o 63º lugar. Joinville registrou queda de 2,6% no PIB, com R$ 18,797 bilhões em 2011 e R$ 18,299 bilhões no ano seguinte. Maringá, por sua vez, cresceu 5,5%, passando de R$ 9,714 bilhões em 2011 para R$ 10,246 bilhões em 2012.

Mas Londrina perde para Maringá quando se trata de PIB per capita (valor do PIB dividido pelo número de moradores): R$ 24.871,62 dos londrinenses contra R$ 27.887,43 dos maringaenses.

Surpresa

O crescimento surpreendente do PIB londrinense chamou a atenção do assessor econômico da Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil) e professor da UTFPR, Marcos Rambalducci, principalmente porque a média dos outros municípios ficou bem aquém, em torno de 5%. “Partindo do princípio de que os dados estão corretos, Londrina se saiu muito bem naquele ano, puxado principalmente pelo setor de Serviços, que cresceu 19,72%, fazendo com que sua participação na construção do PIB saltasse de 65,74% para 66,10%”, analisou. Segundo o economista, a Indústria e a Agropecuária, juntas, cresceram 17% de um ano para outro, embora sua participação geral no PIB tenha caído de 34,26% em 2011 para 33,89% em 2012. Rambalducci diz que a tendência é que os crescimentos se tornem mais homogêneos no decorrer do tempo. “O que sabemos com certeza é que, possivelmente, esse crescimento surpreendente não se repita na divulgação do PIB de 2013.”

O prefeito Alexandre Kireeff (PSD) mostrou-se feliz com o bom resultado de 2012. Mas segundo ele, o PIB daquele ano cresceu por causa do fortalecimento do agronegócio da região e da expansão do setor da construção civil. “Tivemos recomposição de preços das commodities naquele ano, uma grande safra e o setor vem gastar seu lucro em Londrina. As maiores empresas de insumos estão aqui e isso reflete, inclusive, na construção civil, que também foi um segmento forte naquele ano,”, disse. O prefeito ressaltou o desempenho “esplendoroso” na construção civil. “Foi um ano em que a construção civil foi muito bem, com bastante crédito. Foi um ano empreendedor e houve uma quantidade de investimento muito grande [no setor].”

Kireeff ressalta, no entanto, que o Município precisa investir mais na industrialização para garantir que o PIB seja, no futuro, mais consistente. “Estamos trabalhando para isso.”