07/12/2018 09:24:51 Presentes de Natal devem injetar R$ 119 milhões na economia de Londrina

Fonte: Assessoria ACIL

Atentos ao cenário econômico vivido em 2018, os consumidores londrinenses pretendem fazer suas compras de Natal com mais cautela e entrar 2019 com otimismo e poder de compra estabilizado, conforme pesquisa sobre o comportamento do consumidor encomendada pela ACIL.

Os presentes devem injetar na economia da cidade o montante de R$ 119 milhões. Segundo o levantamento, 56,5% dos londrinenses entrevistados pretendem gastar com presentes de Natal. O valor médio que cada consumidor deve gastar com o total de presentes é de R$ 490. Já o valor médio gasto por presente é de R$ 116. Dos entrevistados, 79,5% também informaram que pretendem gastar com alimentos e bebidas de final de ano. O valor médio gasto com esses itens é de R$ 355,24.

A pesquisa ainda revelou que 47,1% dos entrevistados irão presentear os filhos, enquanto 29,9% comprarão presentes para o marido/esposa/companheiro e 28,7% irão presentear pai/mãe.

Entre as opções de presentes que mais se destacaram no levantamento estão roupas/vestuário (61,5%), brinquedos (35,6%), perfumaria (18,4%), calçados (14,4%), eletrônicos (8,6%), seguido de itens como chocolates, objetos de decoração, livros, bijuterias e acessórios.

Sobre as formas de pagamento, 64,9% dos entrevistados responderam que irão pagar à vista em dinheiro/cheque, 15,5% irão parcelar no cartão de crédito, 14,4% disseram que farão à vista no cartão de crédito e 8,6% responderam que a opção será o cartão de débito.

Dos consumidores que irão parcelar as compras no cartão de crédito, 33,3% afirmaram que farão em duas vezes, 29,6% responderam três vezes, 11,1% disseram quatro vezes, 11,1% escolheram cinco vezes e os demais farão o pagamento em mais parcelas.

A maioria das compras deve ser feita na região central de Londrina. 50,6% irão optar pelas lojas de rua do Centro, 44,3% responderam shoppings centers, 5,7% farão compras pela internet, 2,9% nas lojas de rua dos bairros da cidade e os demais responderam galerias ou centros comerciais.

A pesquisa encomendada pela ACIL ainda destacou a importância do horário alternativo para compras. 48,9% dos consumidores entrevistados irão em busca dos presentes à noite, enquanto 35,1% sairão à tarde, 21,8% pela manhã e 5,7% na hora do almoço.

Já em relação a abertura do comércio no período noturno, 76,4% dos entrevistados disseram que o funcionamento das lojas em horário especial facilitaria as compras de presentes de Natal.

Segundo apurou o levantamento, 38,2% dos entrevistados que recebem 13º salário irão utilizar o dinheiro para pagar dívidas, 21,7% preferem guardar/poupar, 15,3% responderam que gastarão nas compras de Natal, 10,8% irão pagar os impostos de início do ano, 10,8% vão gastar nas festas de fim de ano e os demais farão outros investimentos.

Para 2019, os consumidores entrevistados mostraram-se otimistas com a sua situação financeira. 86,4% responderam que irá melhorar, 11,4% disseram que deverá manter igual e 2,3% acreditam que vai piorar.

A pesquisa foi realizada durante o mês de novembro pela Litz Consultoria.