24/10/2018 07:56:14 Sai o produto, entra a prestação de serviços

Fonte: Por Micaela Orikasa - ACIL - Lidere 2018

Inovar é uma palavra de ordem, mas isso não significa se tornar refém de investimentos milionários em tecnologia. Esse foi o tom da trilha de conteúdo do Sebrae, no primeiro dia do LIDERE 2018.

Para mostrar como é possível se posicionar de forma competitiva no mercado inovando com foco na prestação de serviços e não só no produto, dois empreendedores de Londrina contaram como trilharam o caminho rumo ao sucesso.

“As maiores startups no mercado hoje inovam em serviço, mas até uma década atrás, não havia esse entendimento. O foco agora é o cliente e atendê-lo com qualidade. Essa também é uma grande forma de inovar”, afirma o gestor estratégico de startup do Sebrae regional Norte, Lucas Ferreira.

Foi pensando em oferecer serviços de saúde de qualidade e com agilidade, que surgiu o Atend Já. A marca criada há três anos e meio, trabalha com consultas e exames a preços acessíveis.

Ao todo, a empresa trabalha com mais de 23 especialidades, com consultas a partir de R$ 75 e mais de mil exames, a partir de R$ 6. Para ofertar esses serviços, a marca faz a contratação de médicos e laboratórios.

A receita deu tão certo, que seis unidades já se espalharam por Londrina, São Paulo, Manaus e em breve, em Cambé. “Temos um crescimento médio de 30% ao mês e já atingimos 500 consultas mensalmente”, comemora Rafael Grizzo, CEO da Atend Já.

Ele destaca que o pensamento estratégico partiu de um ponto primordial para os brasileiros, que é o acesso aos serviços de saúde. “A tecnologia foi apenas um meio. O segredo é a gestão de alto nível, que é justamente o que os médicos não têm tempo para se dedicar e é o que fazemos”, diz.

O fator tempo foi o start que a Cash Auto teve para inovar no serviço de intermediação na compra e venda de veículos particulares. Com um ano e meio de mercado, a startup londrinense já realizou a venda de 13 mil carros e comemora a abertura de seis lojas, distribuídas em Curitiba, Itajaí, Maringá e Londrina.

O serviço garante a venda do veículo em 50 minutos, pois há interação com mais de 20 mil compradores em todo o Brasil. Além dessa agilidade, a empresa assume todo o processo burocrático, como documentação e garantias.

“Temos um crescimento de 50% por semestre e nosso faturamento em 2017 foi de R$ 25 milhões. Neste ano, já superamos nossa meta no mês de junho”, aponta. Agora, a Cash Auto se prepara para o licenciamento de uso da marca. “Assim, conseguimos ser mais rentáveis, com menos riscos para os credenciados”, afirma.