16/01/2015 00:00:00 Saldo da balança comercial cai, mas Londrina mantém superávit em 2014

Fonte: JL

A balança comercial de Londrina fechou 2014 com um superávit de US$ 325.638.905, um resultado bem melhor que o registrado pelo Paraná e pelo País, que fecharam o ano com saldo negativo. Mesmo assim, o saldo comercial foi 1,2% menor que o registrado em 2013, de US$ 329.623.044.

No cômputo geral, as exportações de Londrina somaram US$ 781.831.490 em 2014 contra os US$ 770.384.739 do ano anterior, com as commodities encabeçando a lista de produtos vendidos para outros países. Já as importações somaram US$ 455.192.584 contra os US$ 440.761.695 de 2013.

Para o economista, consultor de empresas e doutor em Administração, Cláudio Chiusoli, o desempenho do Município foi bom, considerando os quadros estadual e nacional. “2014 foi um ano difícil para o comércio interno e internacional. A maioria dos países reduziu suas compras. Londrina ainda teve superávit, então pode ser considerado um resultado muito bom.”

Segundo o economista, para 2015 as empresas exportadoras precisam conquistar novos mercados. “Todas as perspectivas ainda são cinzas para o ano. A diversificação talvez seja o melhor caminho para que não tenhamos problemas que poderão aparecer se mantivermos basicamente os mesmos clientes.”

Produtos mais vendidos

Um dos produtos que mais cresceu em exportação no ano passado foi a torta e resíduos sólidos de soja, cujas vendas cresceram 179,37% ante 2013. Segundo o pesquisador da Embrapa Amélio Dall’Agnol, a torta e resíduos sólidos são mais conhecidas como farelo de soja, usado na alimentação animal, principalmente para frangos e suínos, animais de leite e gado confinado. Segundo ele, a soja – e principalmente o farelo - é um produto cada vez mais requisitado pelo comércio exterior. “A China continua sendo o maior comprador do Brasil.”

Além do farelo, a exportação de óleos ácidos de refinação também cresceu 154,31% e o café em grão teve um bom desempenho, com alta de 64,10% nas exportações sobre o período anterior. O recordista em crescimento, no entanto, foi a exportação de sobras de couro natural ou reconstituído, que saltou 351%, passando de um valor de exportação de US$ 67,29 mil para US$ 303,93 mil.

Londrina ainda vende bem extratos de café, milho e fios de seda. E os principais compradores estão nos blocos asiáticos, com 47,24% das compras, e União Europeia, com 18,95%.