13/01/2015 00:00:00 Vereador custa R$ 32,6 mil por mês em Londrina


Cada um dos 19 vereadores de Londrina custa R$ 32.675,88 mensais ao contribuinte. O cálculo pode ser feito a partir dos custos individuais de cada gabinete, que incluem o salário do vereador, recursos disponíveis para a contratação de assessores e outros gastos.

Em Londrina, o valor é 18% superior aos R$ 27.458,92 mensais necessários para custear cada um dos 15 vereadores de Maringá e é bem menor que em Curitiba, a capital do Estado, onde o custo de cada um dos 38 parlamentares é de R$ 74.498,75 mensais.

Se o custo do vereador da capital é 2,2 vezes maior que o de Londrina, o orçamento do Legislativo de Curitiba é 4,4 vezes maior que o de Londrina: R$ 140 milhões na capital contra R$ 28,9 milhões. A Câmara de Londrina é considerada enxuta. Os números levantados pelo JL nas três casas Legislativas confirmam essa impressão.

Um exemplo é o teto de limites para gastos com assessores. Enquanto em Londrina o parlamentar pode contratar até cinco assessores, a um custo de até R$ 18.975,88, média de R$ 3.795,17 por assessor, em Maringá são R$ 19.466,01 para pagar até quatro assessores, média de R$ 4.861,50 para cada um. Assessorar vereador em Curitiba é bem mais atraente do ponto de vista financeiro. Na capital, cada vereador pode contratar até 7 assessores gastando, no máximo, R$ 51.533,76 com eles, média de R$ 7.361 por assessor.

Além de ter mais verba para contratar mais assessores, os curitibanos têm direito a outras mordomias, como um carro para atender a cada gabinete, até 200 litros de combustível para abastecer o carro – álcool ou gasolina comum – e até R$ 5,2 mil para gastar com o envio de correspondências aos eleitores.

Os vereadores de Londrina e Maringá não têm estrutura proporcional a essa para os seus mandatos. Em Londrina, além da verba para contratar assessores, os vereadores têm cota para correio, cópias e telefonemas interurbanos. Em Maringá, os parlamentares contam com os mesmos benefícios.

“Enxuta”

O vereador Fábio Testa (PPS), que assumiu a presidência da Câmara na semana passada, afirmou que o Legislativo londrinense “é enxuto” e que, apesar de serem necessárias novas contratações, a nova Mesa vai adotar cautela para evitar excessos. “Pelo pouco tempo em que estou aqui [na presidência] dá para perceber que é uma estrutura bem enxuta e vai continuar sendo assim”, garantiu.

A nova Mesa tem ocupado os primeiros dias de trabalho com estudos e avaliações sobre a estrutura do Legislativo. Testa assumiu defendendo a necessidade de contratações de servidores para dar conta das mudanças no Regimento Interno da Câmara, que começa a vigorar em fevereiro e que dá maior peso ao trabalho das comissões permanentes. Um projeto de resolução criando esses novos cargos tramitava na Casa e foi retirado de pauta a pedido da nova Mesa, que pretende reestudá-lo. Para fazer essas contratações é preciso antes aprovar essa lei e depois convocar concurso público.

Custos das câmaras

Londrina

19 vereadores

Orçamento em 2014: R$ 28,9 milhões

Salário dos vereadores: R$ 12 mil

Assessoria: até 5 assessores com gasto total de R$ 18.975,88 

Correio: até R$ 900

Telefone interurbano: até R$ 300

Cópias PB: até 4 mil cópias em preto e branco por mês (se cada cópia custar R$ 0,10, o custo fica em R$ 400)*

Cópias: até 500 cópias coloridas por mês (se cada cópia custar R$ 0,20, o custo fica em R$ 100)*

Total: R$ 32.675,88

* A cota é em material, não em dinheiro. 

Maringá

15 vereadores

Orçamento em 2014: R$ 16,4 milhões

Salário dos vereadores: R$ 7.271,91 

Assessores: até 4 (um chefe de gabinete e três assessores): R$ 19.466,01

Correio: 500 selos por mês ao custo de R$ 1,30 cada: R$ 650

Cópias: até 700 cópias por mês a R$ 0,13 cada: R$ 91

Total: R$ 27.458,92

Curitiba

38 vereadores

Orçamento para 2015: R$ 140 milhões

Salário dos vereadores: R$ 14.226,30

Assessores: até 7 com custo máximo de R$ 51.533,76

Carro: um por gabinete a um custo de R$ 2.930,69 (alugados)

Combustível: 200 litros de combustível. Se gasolina, R$ 538 por mês; se álcool, R$ 358

Material de escritório: R$ 70

Correio: até 4 mil selos (se custar R$ 1,30 cada): R$ 5,2 mil

Total: 74.498,75