23/10/2018 08:01:47 Emprego com saldo positivo em Londrina

Fonte: Folha de Londrina

Londrina registra, pelo segundo mês consecutivo, saldo positivo no emprego. Os dados do Caged (Cadastro Geral de Emprego e Desemprego) do Ministério do Trabalho, divulgados nesta segunda-feira (22) mostram a geração de 325 postos de trabalho em setembro. Em agosto havia sido 540. 

A indústria de transformação (142) e serviços (161) foram os setores que puxaram a criação de emprego com carteira assinada. O comércio abriu 45 novas vagas. A construção civil deu o tom negativo com o fechamento de 18 vagas e a agropecuária teve saldo de menos quatro postos de trabalho. 

"O interessante é que a indústria, que representa 16% do PIB de Londrina, gerou 142 postos e o comércio e serviços - que juntos representam 77% do PIB -, abriram 206 vagas. Quando falamos de emprego nas áreas de serviço e indústria isso soa como sustentabilidade dos setores", avaliou Marcos Rambalducci, economista da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) e colunista da FOLHA. 

Rambalducci afirmou que o saldo positivo da indústria é reflexo do aumento dos pedidos de produção, que nos últimos mês estão em ascensão, principalmente o setor metalmecânico, o que leva a recomposição dos estoques. 

O desempenho da construção civil ainda preocupa. O setor, na avaliação do economista, ainda precisa de uma melhora significativa da economia local. "As pessoas ainda estão inseguras para contrair uma dívida de 20 anos. O setor está no compasso de espera da economia para fazer aporte de novos investimentos", disse. 

REGIÃO METROPOLITANA 
Das cinco principais cidades da RML (Região Metropolitana de Londrina) apenas Cambé teve saldo negativo com menos cinco vagas em setembro. Arapongas registrou o segundo melhor desempenho (140), seguida de Rolândia (73) e Ibiporã (48). "Mostra um cenário positivo que está contaminando todos os setores", comentou Rambalducci. 

O Paraná foi o quarto Estado em geração de emprego com saldo positivo de 9.487 vagas, com destaque para o setor de serviços (4.726), comércio (2.111) e indústria de transformação (1.286). 

O Estado foi o segundo em desligamentos mediante acordo entre empregador e empregado e o terceiro em trabalho intermitente. No Paraná 1.316 demissões foram nessa modalidade. A modalidade de trabalho intermitente teve um saldo positivo de 474 vagas. 
"Se observarmos, os Estados que mais mostram recuperação de emprego têm apresentado essa característica do trabalho intermitente. A flexibilidade da legislação trabalhista está levando os setores produtivos a contratarem sem medo do desligamento. Essa é uma sinalização da mudança trabalhista", ressaltou Rambalducci. 

BRASIL 
O mercado de trabalho brasileiro criou 137.336 empregos com carteira assinada. Esse é o melhor resultado para o mês desde setembro de 2013, quando foram gerados 211.068 empregos formais. Também é o nono seguido com criação de empregos formais, de acordo com a série histórica com ajuste sazonal. O mês registrou o melhor desempenho do ano e ficou à frente de abril, quando a economia gerou 127.134 empregos formais - até então, o melhor resultado de 2018. 

O resultado do mês passado veio melhor que o previsto pelos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que previam expansão do mercado de trabalho com criação entre 47.819 a 127 mil vagas, sem ajuste sazonal. Com base no intervalo de 13 estimativas, a mediana indicava a criação de 100 mil empregos formais em setembro. 

O crescimento do emprego em ritmo superior ao esperado pelos economistas foi liderado pelo setor de serviços em setembro. Dados do Ministério do Trabalho indicam que os serviços registraram a criação de 60.961 empregos, seguidos pela indústria de transformação, que elevou o número de trabalhadores com carteira assinada em 37.449 vagas. O comércio foi o terceiro setor que mais gerou empregos, com 26.685 postos no mês passado. 

Entre os demais setores, a construção civil criou 12.481 empregos, os serviços industriais de utilidade pública ganharam 1.091 postos, a administração pública registrou 954 novos empregos e o segmento de extração mineral teve 403 novas vagas. Por outro lado, o agronegócio registrou fechamento de 2.688 empregos formais no mês passado. Esse foi o único setor econômico com fechamento de empregos em setembro.