21/08/2019 08:27:13 7 dicas para micro e pequenos empresários ficarem no azul

Fonte: E-commerce News

1. Faça o “dia da faxina” nas contas

Controle financeiro é algo fundamental para a saúde dos negócios, mas frequentemente deixado de lado pelo empresário, principalmente nos pequenos negócios. É claro que o que mais importa é vender, mas vender sem ter noção de que isso, de fato, está trazendo resultado é um problema. Então, a dica número um é sentar e rever tudo o que está entrando e saindo da empresa e fazer um verdadeiro balanço. Esta também pode ser uma oportunidade excelente para ter novas ideias sobre o negócio. O empresário pode, por exemplo, perceber que algum produto ou serviço não tem mais função ou agrega pouco valor ao negócio.

2. Renegocie dívidas

Pagar o que se deve aumenta a credibilidade da empresa junto aos credores e tranquiliza o empresário. Este é um ótimo momento para renegociar dívidas, já que os credores estão mais abertos para propostas. Mas cuidado: tenha certeza de que poderá honrar com o combinado para não perder o direito de negociar novamente no futuro.

3. Regularize a sua empresa

Se você deixou de pagar impostos, agora é a hora de regularizar sua situação fiscal. Manter-se em dia com as obrigações com o governo é essencial para não ser desenquadrado do Simples Nacional (ou para solicitar o enquadramento), participar de licitações, obter linhas de crédito e fazer negócios com grandes empresas. Por isso, procure o seu contador e verifique a possibilidade de parcelamento.

4. Alinhe os gastos aos objetivos da empresa

Alinhar gastos é diferente de cortar custos. Após a faxina nas contas, o empresário deve ter uma visão clara sobre para onde está indo o seu dinheiro e, então, traçar os objetivos do negócio alinhando custos e despesas. Isso pode até significar uma elevação nos custos, mas uma redução significativa nas despesas. Por exemplo: uma empresa de comércio eletrônico pode decidir incrementar seu estoque com novos produtos, elevando os custos, mas cortar suas despesas mudando-se para uma sede com aluguel mais em conta. Tudo depende dos objetivos traçados.

5. Poupe!

Aquela máxima “quem poupa sempre tem” geralmente é mais aplicada às finanças pessoais, mas as reservas financeiras que as empresas devem construir são tão importantes quanto. A economia é cíclica, por isso, estar preparado para momentos difíceis, períodos de queda nas vendas e até para pagamentos já previstos, como 13º salário, é fundamental. A recomendação é que 10% do lucro do negócio seja poupado para garantir o sono do empresário.

6. Tenha visão de mercado

O que os clientes buscam é ter o maior valor agregado pelo menor custo possível. Com isso, ampliar sua visão de mercado para identificar oportunidades de venda e fazer parcerias com outras empresas pode ser um bom negócio. Aliás, as parcerias são um caminho para o empresário alavancar seu produto ou serviço agregando atributos que lhe faltam ou potencializando aqueles que já tem para conquistar mais clientes. As opções são inúmeras: as empresas parceiras podem trocar cupons de desconto, dividir o faturamento ao venderem pacotes de produtos e serviços ou simplesmente trocar a base de clientes para que ambas façam suas promoções atingindo o público uma da outra.

7. Use a tecnologia a seu favor

A transformação digital é um dos maiores trunfos dos últimos tempos. Migrar a administração do seu negócio, independentemente do tamanho, para a nuvem (e para o seu smartphone) faz muito sentido. Com custos baixos e muita facilidade, as opções online de gestão financeira, contabilidade, emissão de notas fiscais, CRM e marketing profissionalizam as empresas e liberam espaço na mente do empreendedor, que precisa focar apenas em fazer seu negócio crescer.