15/07/2016 00:00:00 Londrina quer se tornar "laboratório" para ações de cidades inteligentes

Fonte: Folha de Londrina

O tema "Cidades Inteligentes" deverá ser uma das principais áreas estratégicas do novo Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, que será eleito na IV Conferência Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, nos próximos dias 9 e 10 de agosto. O Conselho será formado por representantes da sociedade civil e do poder público, e o primeiro mandato vai de 2016 a 2018. Durante a Conferência, também serão indicados os membros do poder público que deverão compor o novo Conselho, instituído pela Lei 12.334/2015, a Lei Londrinense de Inovação. 
Conforme lembra Pedro Sella, diretor de Ciência e Tecnologia do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), o novo Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação foi "ampliado e modernizado", e inclui a deliberação do Programa Municipal de Incentivo à Inovação (Promin), do Parque Tecnológico e de políticas públicas voltadas ao setor. 

A IV Conferência terá como tema "Como Transformar Londrina em uma Cidade Humana, Inteligente e Inovadora (Smart City)". O assunto deverá guiar as ações do primeiro biênio do novo Conselho, diz o diretor da Codel. Ele lembra que uma cidade inteligente envolve não apenas soluções tecnológicas para melhorar a vida da população, mas também ações nas áreas de economia inteligente, pessoas inteligentes, governo inteligente, mobilidade inteligente, ambiente inteligente e modo de vida inteligente. "Cidades inteligentes tratam não só de hardware e software, mas passam por um governo inteligente que desenha melhores serviços para atender a sociedade", exemplifica Sella. 
Conforme ele, a criação do novo Conselho é uma maneira de coordenar todas essas iniciativas. "O que queremos é que todas essas iniciativas fiquem embaixo de uma estratégia maior para conseguirmos coordenar todas elas." 

Experiências
Além do Conselho, o município conta com um grupo de trabalho relacionado ao tema de "smart cities", cuja primeira reunião acontece hoje. O grupo é formado por secretários e servidores da administração pública e tem um caráter mais executivo, afirma o presidente da Sercomtel Participações, Guto Belusci. Ele ressalta que Londrina, por contar com uma companhia telefônica própria que também administra a iluminação pública da cidade, tem potencial para se tornar um "laboratório" de experiências de cidades inteligentes. "Isso é importantíssimo porque podemos desenvolver em Londrina infraestrutura para suportar serviços baseados em tecnologia." 

Estão em negociação, de acordo com o presidente, projetos pilotos com empresas privadas que visam tornar Londrina uma "smart city". Entre eles está o de transformar a Av. Ayrton Senna, na Gleba Palhano, em uma "avenida inteligente" com instalação de iluminação pública inteligente com geração de economia de energia e bueiros "inteligentes" para saber o melhor momento de realizar a limpeza. Os pontos de ônibus, com acesso à internet, também vão fornecer informações ao usuário. O projeto tem parceria com as multinacionais PromonLogicalis e General Electric (GE). 

Informações sobre a IV Conferência Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação podem ser obtidas pelo site codel.londrina.pr.gov.br/index.php/iv-conferencia-de-ciencia-tecnologia-inovacao.