05/08/2014 00:00:00 Cesta básica fica 5% mais barata em julho

Fonte: Folha de Londrina

O valor da cesta básica em Londrina caiu 5,04% em julho na comparação com junho, com redução no preço de 11 dos 13 produtos do pacote. O coordenador da pesquisa em Londrina, Flávio Oliveira dos Santos, da Faculdade Pitágoras, divulgou ontem que o custo ficou em R$ 284,34 para uma pessoa e em R$ 853,01 para uma família com dois adultos e duas crianças. 

A recuperação da produção depois de problemas climáticos no início do ano e a queda das cotações internacionais elevaram a oferta de alimentos dentro do País, o que levou à retração de preços. No entanto, a variação não reverteu a alta de 6,57% no acumulado desde janeiro. 

Na primeira semana deste ano, o pacote de produtos custava R$ 266,81 para uma pessoa e R$ 800,43 para quatro. Quando comparados aos preços de julho do ano passado, o aumento chega a 15,97%, com R$ 245,18 para a cesta individual e R$ 735,55 para a familiar. 

Até o fim do ano, Santos considera que a tendência é de que novas reduções ocorram. "Na pesquisa anterior o preço já havia caído e agora caiu mais, porque está ocorrendo uma acomodação dos valores depois das grandes elevações dos meses anteriores." 

O chefe do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento, Francisco Carlos Simioni, explica que os preços de alimentos tiveram em alta desde meados do ano passado devido à redução dos estoques internacionais, causada por problemas climáticos. A recuperação da produção, principalmente de milho e de soja nos Estados Unidos, teve efeito inverso nos últimos meses. 

Simioni também acredita em tendência de queda no custo da cesta. "Em agosto e setembro teremos a entrada da produção nacional e da importada de trigo, o que deve implicar em queda dos preços", completa. 

Sobre a elevação nos preços da banana, o engenheiro agrônomo Paulo Andrade, do Deral, diz que o tempo seco reduziu a oferta e elevou o custo para o consumidor. "Com o inverno, diminui o metabolismo da planta e há menor oferta da fruta, que também fica com qualidade inferior", diz. Tanto que, para o produtor, ele explica que a remuneração caiu. No caso do leite, a explicação é que o inverno eleva o uso de ração e impacta no preço final. 

Olho nas promoções
O coordenador da pesquisa em Londrina alerta para a necessidade de se pesquisar em ao menos três supermercados, para economizar. Se comprasse apenas os produtos mais baratos em cada um dos dez estabelecimentos no último dia 2, o custo da cesta sairia 42,31% mais em conta, ou R$ 218,87 para uma pessoa e R$ 659,62 para quatro. 

A elevação dos preços em um ano tem pesado para o consumidor. "Estou percebendo que meu vale não está mais dando para pagar o que comprava antigamente", diz a atendente comercial Bárbara Adatihara. 

Uma das alternativas tem sido esperar pelas promoções. "Venho ao mercado sempre e compro aos pouquinhos, para tentar economizar", diz a professora Nilda Nunes. "Compro todos os dias e, se o tomate estiver caro, nesse dia pego outra coisa", completa a cabeleireira Janete de Sousa.