06/06/2017 09:01:51 Comércio otimista para o Dia dos Namorados

Fonte: Folha de Londrina

Os comerciantes de Londrina estão relativamente otimistas em relação ao Dia dos Namorados (12). A expectativa é que as vendas sejam melhores que na mesma data do ano passado. O comércio varejista resolveu estender o horário na quinta-feira (8) e na sexta-feira (9) até as 21 horas. No sábado, as lojas ficam abertas até as 18 horas. O objetivo é tentar atender um número maior de consumidores que pretendem presentear o namorado ou a namorada. 

Os estabelecimentos que mais esperam pelo dia são os bares e restaurantes. Segundo Alexandre Guimarães, presidente da associação que representa o setor, a Abrasel, trata-se da melhor data do ano. "Estamos confiantes de que será melhor que o ano passado. De forma geral, o movimento nos bares e restaurantes da cidade estão em média 5% acima do de 2016", justifica. 

Muitos estabelecimentos devem começar promoções já no domingo à noite. "Fazemos cardápios especiais com preços menores que os do dia a dia", conta. Em seu restaurante, o Mercado Guanabara, ele afirma haver promoções a partir de R$ 99 para o casal. "Calculo que o tíquete médio ficará de R$ 50 a R$ 75 por pessoa." 

Hotéis e motéis também costumam lucrar com o Dia dos Namorados. O Hotel Sumatra decidiu fazer uma promoção que inclui jantar, pernoite e café da manhã a R$ 249. "Estamos bastante otimistas. Apesar de termos divulgado de última hora, já temos várias reservas", garante o supervisor, Matheus Giacomelli. 

Para Adriano Bicalho, da Floricultura Acácia, o ponto negativo deste ano é que o Dia dos Namorados cai numa segunda-feira. Se fosse no final da semana, ele tem certeza de que venderia bem mais que no ano passado."O primeiro dia útil da semana não favorece", afirma. Segundo ele, a data é a segunda melhor para as floriculturas, perdendo apenas do Dia das Mães. "No último Dia das Mães, vendemos 10% mais que no mesmo dia de 2016", conta. 

De acordo com Bicalho, a clientela vem se mostrando mais animada. E ele aposta num aquecimento importante do mercado no segundo semestre. Em sua loja, um buquê de meia dúzia de rosas nacionais sai a R$ 50. Mas o comerciante se diz esperançoso de vender muitas rosas colombianas na segunda-feira. A dúzia pode chegar a R$ 250. 

PERFUMARIA 
Angelita Moreira, gerente das lojas Boticário da Rua Quintino Bocaiúva e do Shopping Royal, afirma estar otimista. "Nós brasileiros somos persistentes", declara. No ano passado, o Dia dos Namorados foi melhor que o Dia das Mães nas unidades que ela gerencia. E, neste ano, deve ocorrer o mesmo. "Geralmente, o movimento de compras para o Dia dos Namorados é mais próximo à data. Por enquanto, ainda está tímido", revela. Ela aposta num tíquete médio de R$ 100 em perfumaria. 

O vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Londrina (ACIL) e diretor dos Móveis Brasília, Fernando Maurício de Moraes, afirma que o otimismo da entidade está baseado em pesquisa encomendada a Litz - Estratégia e Marketing, logo após o Dia das Mães. Segundo o levantamento, 84,6% dos empresários esperam melhorar as vendas da sua empresa, 13,5% acreditam que as vendas devem se manter iguais aos primeiros meses do ano, e apenas 1,9% dos entrevistados responderam que as vendas podem piorar.
 
No Dia das Mães, segundo Moraes, o tíquete médio do presente no varejo da cidade foi de R$ 190. Para o Dia dos Namorados, esse valor não deve ser tão elevado. "Mas também não deve cair muito", avalia. Além da data especial, o diretor afirma que os comerciantes estão animados devido ao clima. "E ainda há previsão de chuva. Então, a família sai para comprar roupa, principalmente para as crianças." 

Acil comemora 80 anos 
A Associação Comercial e Industrial de Londrina (ACIL) completou 80 anos nesta segunda-feira (5). Para comemorar a data, a entidade realizou um concerto, à noite, no Teatro Mãe de Deus. As atividades comemorativas prosseguem nesta terça-feira, com uma peça de teatro e, na quinta-feira, com um jantar. No sábado, a ACIL irá soltar balões no calçadão. 

Ainda sem data para lançamento, a associação prepara um documentário, que está sendo feito pelo jornalista Fábio Cavazotti e um livro, organizado pela rádio CBN. 

"A história da ACIL se confunde com a história da cidade. A entidade participou de todos os momentos de Londrina, nos felizes e nos tristes", diz o presidente, Cláudio Tedeschi. De acordo com ele, a associação sempre teve uma participação proativa na cidade, atuando com uma visão "holística", não se restringindo aos interesses da classe empresarial. 

Tedeschi diz ainda que a ACIL mantém conduta baseada na livre iniciativa, na ética e na democracia. "Esses são só pilares que sustentam essa nossa caminhada de 80 anos", declara. 

O ponto alto das comemorações pelo aniversário da entidade será o Lidere, encontro empresarial a ser realizado em outubro. Segundo o site do evento (www.lidere2017.com.br), já estão confirmadas as participações dos presidentes do Grupo Abril, Walter Longo, da Elektro, Márcio Fernandes, e da rede Gazin, Mário Gazin.